Orquestra de câmara busca público fora do Teatro Amazonas

Nesta sábado e na quinta-feira, a OCA realiza concertos no Palácio da Justiça e no Centro Cultural Palácio Rio Negro

Compartilhe:

A Orquestra de Câmara do Amazonas (OCA) iniciou a sua temporada de 2020 com duas apresentações neste mês: a primeira no Centro Cultural Palácio da Justiça, e a segunda, no Centro Cultural Palácio Rio Negro, ambas com entradas gratuitas e classificação livre.

O regente da OCA, Marcelo de Jesus, diz que a proposta da SEC é ampliar a audiência da música erudita com um público mais diversificado.

O concerto, promovido pela Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, contou com obras de Johann Sebastian Bach, Wolfgang Amadeus Mozart e Piotr Ilitch Tchaikovsky.

A regência foi do maestro Marcelo de Jesus, que diz que neste ano a OCA volta às suas origens, com repertório tradicional, que vai do barroco ao contemporâneo.

Outra novidade é a forma de seleção das obras, que agora passará a ser realizada de forma mais coletiva, com participação dos músicos da orquestra.

“Os concertos passarão a ter um repertório sugerido pelos nossos músicos, e teremos uma forma de curadoria. Nesses concertos, também vamos passar a informar sobre estes músicos e suas trajetórias, e assim buscarmos uma nova forma de diálogo com o público que presencia nossos eventos”, disse o maestro.

Grandes obras

“Em Brandenburgo, temos uma peça escrita só para cordas de grande importância e valor, e tecnicamente muito difícil de ser executada. Divertimento, de Mozart, já faz parte do centro gravitacional da OCA, um repertório clássico, no qual já temos uma linguagem estabelecida. Após um intervalo de 10 minutos, voltamos com Serenata, uma obra bem robusta com 30 minutos de duração, auge do romantismo. Assim, temos obras que representam grandes pilares da música clássica”,  ressalta Marcelo de Jesus.

A ideia de iniciar os trabalhos da OCA em apresentações fora do Teatro Amazonas é a busca de novos públicos, segundo o maestro.

“Queremos ampliar nossa audiência e diversificar nosso público, seguindo a orientação do secretário Marcos Apolo Muniz. Estes concertos também são um aquecimento para o público se preparar para o Festival Amazonas de Ópera”, declarou o regente.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.