Cinco orientações da OIT para quem está trabalhando em casa, na quarentena

Muitos funcionários, em várias partes do mundo, foram solicitados a continuar produzindo de suas residências a distância e utilizando a internet. Para Organização Internacional do Trabalho, OIT, esse arranjo temporário pode ser bem-sucedido com o apoio necessário.

Especialistas da Organização Internacional do Trabalho(OIT) divulgaram uma lista de cinco pontos para facilitar a produção feita em casa, devido ao risco de contaminação com o coronavírus.
Muitas empresas dispensaram os empregados dos escritórios delegando a eles o teletrabalho.
Num vídeo de cerca de dois minutos, a OIT lista cinco dicas com o especialista Jon Messenger.

Veja se sua empresa se encaixa em todas elas.

  1.  É preciso ter o apoio de seus supervisores para fazer o teletrabalho

Desde os mais altos escalões de comando até ao supervisor / à supervisora direta, todos precisam apoiar esta nova forma de performance dos funcionários. Existem alguns desafios no trabalho a distância que podem ser superados de forma conjunta e com cooperação.

  1.  Equipamento tecnológico apropriado 

Todas as ferramentas e aplicativos necessários para fazer o trabalho e continuar conectado com os colegas da equipe são importantes. Importante que trabalhadores e supervisores tenham treinamento adequado.

  1.  Clareza sobre expectativas e resultados esperados 

As condições, cronograma, em que horários os trabalhadores podem ser contatados. Trabalho a distância não deve ser 24 horas. Todos esses pontos precisam ser discutidos logo no início da nova jornada de teletrabalho.

 

  1.  Soberania do tempo para promover produtividade

É preciso ainda que os trabalhadores exerçam o comando do seu próprio tempo de produção; os funcionários precisam ter liberdade para atuar nos lugares e no ritmo que sejam mais convenientes para eles em termos de produtividade.

  1.  Barreiras claras para estratégias de gerenciamento do teletrabalho

Trabalhando de casa é preciso deixar claro os limites do espaço de trabalho e do espaço físico individual especialmente se existem outras pessoas na casa que também estão trabalhando a distância. Ao mesmo tempo, é preciso de desconectar do trabalho.

É preciso desligar o equipamento no fim do expediente, descansar e relaxar.

Por último, é preciso haver confiança. Esta é a espinha dorsal do teletrabalho. É fundamental que haja confiança entre os colegas, os funcionários e os supervisores. Somente com esta operação conjunta de confiança e de produtividade, haverá um trabalho a distância bem-sucedido.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.