Oito países celebram, hoje, o Dia Mundial da Língua Portuguesa

Compartilhe:

Este 5 de maio é o Dia Mundial da Língua Portuguesa. A celebração global de 2020 marca uma nova etapa: é a primeira que acontece um ano após ser instituída pela Organização das Nações Unidas para Educação Ciência e Cultura (Unesco).

O idioma de vários sotaques e variantes é oficial numa área de mais de 285 milhões de falantes espalhados pelo mundo.

Para o professor titular da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e escritor Wellington Pereira, “a Língua Portuguesa (em destaque o português brasileiro) é um dos mais sofisticados instrumentos da lógica Ocidental”.

Isso porque, segundo ele, “é um pentagrama de possibilidade sonoras que, unidas às línguas silvícolas e africanas, nos deu a possibilidade de aproximar língua e fala maias poéticos do universo”.

O poeta e professor de Língua Portuguesa em Parintins Venício Garcia entende que a data serve para valorizarmos a língua como instrumento de unidade na diversidade:

“A Língua Portuguesa é um instrumento que nos une enquanto nação. Tem importante função social no fortalecimento da identidade linguística e histórica, considerando as particularidades regionais de cada falante e o que há na sua comunicação interpessoal. Valorizar Língua Portuguesa Brasileira é manter viva a memória desse tão importante de unidade política, nacional e libertária”.

Wellington Pereira. Foto:Wilson Nogueira

 

Venício Garcia, poeta e professor

 

 

 

 

 

 

 

Neiza Teixeira, escritora e coordenadora editorial da Valer
Uma das mais retumbantes homenagens à Língua Portuguesa ou como também é muito enfatizada, a Língua de Camões, foi feita por Bernardo Soares, um dos heterônimos de Fernando Pessoa: A minha pátria é a minha língua.
O poeta brasileiro, um dos expoentes do Parnasianismo brasileiro, Olavo Bilac, presta-lhe uma reconhecida homenagem: Última flor do Lácio, inculta e bela, / És, a um tempo, esplendor e sepultura: (…) Amote assim, desconhecida e obscura, (…)
Caetano Veloso, na música Língua, uma homenagem ao nosso ritmado falar, canta: Gosto do Pessoa na pessoa / Da pessoa do Rosa ; (…) E deixem os Portugais morrerem à míngua / “minha pátria é minha língua” / Fala Mangueira! Fala!
É destacando poeta e escritores, que buscam por meio da Palavra revelar o que se encontra obscuro, que presto, com muito orgulho, a minha homenagem a todos nós que desvendamos o mundo, que buscamos consolo e conhecermos uns aos outros da única forma possível: pela Língua e a nossa Língua – a Portuguesa.

“A língua portuguesa é uma e várias. No imaginário do senso comum linguístico, trata-se de um único idioma partilhado por vários países.
É uma língua imaginada que tem a função de nos aproximar pela linguagem, característica mais forte de nossa espécie. Mas ela é, ao mesmo tempo, língua fluida.
São tantas e diversas as línguas portuguesas que nem contar nós, linguistas, não nos atrevemos mais. Mas para quê contar?
O real da língua, que vem do real da história, nos posiciona como sujeitos da vida da flor do Latim. A última. Uma e várias. Sua beleza, seu encanto, seu desavio”.
(Sérgio Freire, linguista e professor da Ufam. Foto capturada do Facebook)

União

Chefes de Estado e de governo, políticos, organizações a sociedade civil e celebridades juntam-se em evento virtual coordenado com Paris, sede da Unesco.

Durante uma década, o Dia da Língua Portuguesa e da Cultura da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), era marcado por celebrações enfatizando a quinta língua mais falada no mundo, a terceira mais usada no Hemisfério Ocidental e a maior no Hemisfério Sul.

Em mensagem, de Lisboa, o secretário-executivo da CPLP, Francisco Ribeiro Telles, declarou que o atual momento de crise pelas incertezas devido à pandemia da covid-19 tem impacto na língua portuguesa.

“A situação de estado de emergência em muitos países, incluindo da Cplp, fez surgir termos até então muito pouco utilizados na linguagem corrente: teletrabalho, distanciamento social, isolamento, confinamento domiciliar, quarentena, casos positivos e vítimas mortais, por exemplo, que passaram a fazer parte das nossas conversas diárias e lideram o catálogo das notícias dos principais meios de comunicação internacionais.”
Ribeiro Telles mencionou o reflexo negativo da pandemia em agendas de diversos setores que foram forçados a reduzir o ritmo de atividades em nações lusófonas.

O primeiro evento global na Unesco destaca a cooperação para projetar o português.

O ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidades de Cabo Verde, Luís Filipe Tavares, elogiou a ação diplomática que culminou com a consagração da data. Até este ano, o país detém a presidência rotativa da CPLP.

“Vamos continuar a trabalhar para que na frente diplomática a língua portuguesa seja uma língua de trabalho das Nações Unidas. Já é língua de trabalho dos países da África Ocidental, na União Africana. Vamos continuar a trabalhar para que seja a língua de trabalho normal das Nações Unidas.”

O primeiro Dia Mundial da Língua Portuguesa marca a primeira vez em que um idioma não oficial é celebrado na Unesco.

A importância cultural da língua presente nos cinco continentes também acontecerá em eventos programados no bloco lusófono que integra Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, Timor-Leste e São Tomé e Príncipe.

Estudantes

ONU News: Imagens capturadas de vídeo.

A CPLP também destaca a cooperação como outro marco do momento atual.

Nas celebrações em tempos de quarentena e isolamento, a estudante de Angola aponta o português como língua que permite que “falantes de vários idiomas do povo angolano tenham um veículo de comunicação promovendo o desenvolvimento”.

Jaime Bonga, de Moçambique, celebra o português como língua que “diariamente se renova, diante da diversidade cultural no imenso território”.

Sobre o tema, uma estudante de São Tomé e Príncipe comparou o português a “tijolos que, ao longo do tempo, ajudam a construir o percurso de vida e a moldar a personalidade.”

De Cabo Verde, o estudante Lúcio Ferreira disse que a língua já é usada na política e ciência, mas “será certamente a língua do futuro”.

Já a estudante Nelita, de Timor-Leste, destaca que o português é um dos mais importantes instrumentos de união: dos timorenses ao mundo e do mundo aos cidadãos do país.

Segundo a Missão do Brasil junto à ONU, o país planeja criar o Instituto Guimarães Rosa, coordenado pelo Ministério das Relações Exteriores.

Atividades de promoção e ensino de português são realizadas pelo Instituto da Cooperação e da Língua, Camões, e Instituto da Língua Portuguesa (IILP)

Líderes da ONU e da CPLP destacam a influência da língua

Audrey Azoulay, chefe da Unesc

Os líderes das Nações Unidas e da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), destacaram este 5 de maio, Dia Mundial da Língua Portuguesa, a relevância do idioma numa realidade marcada pela globalização.

“Um mundo numa língua” foi o pano de fundo da celebração online, que aconteceu um ano após a proclamação da data pela Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, em Paris.

O Dia Mundial da Língua Portuguesa contou ainda com apresentações de celebridades do mundo lusófono. Entre elas estão músicos, escritores, desportistas, cientistas, artistas e outras figuras desses países.

Valores

Concentrando o olhar no futuro, o secretário-geral da ONU, António Guterres, afirmou que pontes devem continuar sendo moldadas pelas nações lusófonas com base em valores como solidariedade, multilateralismo e diversidade.

“Ela própria uma afirmação de diversidade, a Língua Portuguesa vai-se construindo no dia-a-dia de vários povos de todos os continentes, num constante enriquecimento da sua multiculturalidade. Assumindo um papel fundamental na mobilização de conhecimento, com uma presença cada vez mais visível em várias facetas culturais, adicionando valor nas dinâmicas globais da economia, da ciência e das parcerias internacionais, o português é, efetivamente, uma língua de comunicação global. Ecoando a “voz do mar” e atravessando todos os oceanos, esta língua projeta-se para o mundo a partir da CPLP.”

Em mensagem, Guterres afirmou estar honrado por ter sido um dos fundadores da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que para ele “se tem aprofundado e fortalecido”. Ele destacou ainda o interesse de um número cada vez maior de observadores em estarem associados ao bloco que completou 24 anos.

Sobre o idioma que se espalhou pelo mundo há mais de cinco séculos, o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, disse que o crescimento teve influência de qualidades geniais de escritores ou sentimentos como amor, saudade e solidariedade.

Futuro

“O génio de angolanos, brasileiros, cabo-verdianos, guineenses, moçambicanos, são-tomenses, timorenses, portugueses falando há séculos em casa e nas diásporas. O génio de ser uma língua do futuro, viva, diversa na unidade, que muda no tempo e no espaço continuando a ser a mesma no essencial.”

Já em nome do país que exerce a presidência rotativa da CPLP, o chefe de Estado de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, reconheceu a ação de professores, leitores, jovens, escritores e autores na promoção da língua que une o bloco lusófono.

“Se o passado fez dela a língua da primeira globalização, hoje o português é das línguas mais utilizadas, por exemplo, na internet e nas redes sociais, o que lhe dá uma importância global e reforça o papel no futuro. Futuro esse que passa e muito pela sua expansão fora da Europa, nomeadamente no continente africano e no Brasil.”

Celebração

Foi em português que a diretora-geral da Unesco abriu e fechou a sua mensagem ao evento por ocasião da data. Audrey Azoulay lembrou que a celebração ocorre em tempo de pandemia.

A chefe da Unesco destacou que, ainda assim, dentro da agência que lidera a língua portuguesa é conhecida pela criatividade, música, literatura, património, ciência, inovação, tecnologia, solidariedade, mar e oceanos.

Abraços, ainda que virtuais, foram trocados durante participações de vários continentes. As mensagens dos participantes no evento destacavam cooperação, reforço da presença global do idioma, aproximação em momentos de isolamento e mais.

Interesse

As atividades de comemoração acontecem tanto nível internacional como local nos Estados-membros da Cplp: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné-Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Os Estados Unidos estão entre os países que revelaram ter interesse de integrar os observadores associados ao bloco, que incluem Geórgia, Hungria, Japão, República Checa, República Eslovaca, Maurício, Namíbia, Senegal, Turquia e Uruguai.

Os eventos para o primeiro Dia Mundial da Língua Portuguesa foram idealizados pela CPLP, o Instituto Camões e a ONU News em Português com o apoio de outras organizações parceiras.


Fonte: ONU News com amazONamazonia

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.