Deprecated: A função Advanced_Ads_Plugin::user_cap está obsoleta desde a versão 1.47.0! Em vez disso, use \AdvancedAds\Utilities\WordPress::user_cap(). in /var/www/html/amazonamazonia.com.br/web/wp-includes/functions.php on line 5381

Brasileira e indiana conquistam prêmio da ONU sobre igualdade de gênero

Compartilhe:

As Nações Unidas anunciaram, nesta segunda-feira, que a comandante brasileira Carla Monteiro de Castro Araújo é a vencedora do Prêmio Defensora Militar da Igualdade de Gênero da ONU.

Ela serve na Missão de Paz na República Centro-Africana.

O Prêmio, criado em 2016, reconhece a dedicação e esforço de boinas-azuis na promoção dos princípios da Resolução 1325 do Conselho de Segurança sobre Mulheres, Paz e Segurança.

Internet

A outra agraciada com a distinção foi a militar Suman Gawani, da Índia, que foi boina-azul na Missão das Nações Unidas no Sudão do Sul, Unmiss.

Ambas foram nomeadas pelos comandantes militares das Missões de Paz. Esta será a primeira vez que o prêmio será concedido a duas militares.

Elas receberão o prêmio numa cerimônia na internet presidida pelo secretário-geral António Guterres, em 29 de maio, no Dia Internacional dos Boinas-Azuis

Frutos

A militar brasileira disse que o prêmio é um reconhecimento do trabalho de equipe da Minusca. Ela afirmou que é gratificante ver o trabalho render frutos.

Já a major Gawani acredita que a promoção da igualdade de gênero é um dever de qualquer boina-azul independentemente da posição ou patente.

A militar brasileira Carla Monteiro de Castro Araújo serve como conselheira de gênero e proteção da Minusca desde abril de 2019.

Ela ajudou a fazer um treinamento sobre todos os aspectos de proteção e de gênero. A iniciativa aumentou o número de pontos focais na Minusca na promoção de gênero. A ação levou a mais patrulhamentos nas comunidades passando de 574 para 3 mil.

Violência sexual

A major Gawani ajudou a treinar outras boinas-azuis em iniciativas e um plano de ação de combate à violência sexual relacionada a conflitos.

O secretário-geral, António Guterres, elogiou o exemplo de ambas as militares dizendo que através do trabalho desempenhado, elas ajudaram a criar confiança

entre as comunidades servidas pelas Missões. E que esse trabalho nunca foi tão importante e necessário.

Este é o segundo ano consecutivo em que o Prêmio sobre igualdade de gênero é concedido a uma boina-azul brasileira, e a primeira vez que é destinado a uma militar da Índia.

Mulheres

A comandante Monteiro de Castro Araújo entrou para a Marinha do Brasil em 1997. Por mais de cinco anos, ela serviu à Unidade Médica expedicionária. Ela se formou em 2012 na Escola Militar.

A ONU busca aumentar o número de mulheres militares nas missões de paz. Apenas 6,4% dos 85 mil boinas-azuis uniformizador são mulheres.

Fonte: ONU News

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.