Unicef promove webinários sobre os desafios dos povos indígenas na pandemia

Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) promove, a partir de amanhã, 1º de julho, a série de webinários Direitos de ser e direitos de ter: Os desafios dos povos indígenas no cenário de pandemia e pós-pandemia, visando elaborar estratégias conjuntas, intercomunitárias e interinstitucionais para promoção e garantia dos direitos educacionais indígenas.

Essa série é articulada com os projetos de históricos de vida destas populações, os direitos territoriais, de saúde, linguísticos, culturais e o bem viver como horizonte de qualidade de vida.

Participam do primeiro webinário Eliel Benites, do povo Guarani Kaiowá, docente da Faculdade Intercultural Indígena da Universidade Federal da Grande Dourados (Faind/UFGD); Elizângela da Silva Costa, do povo Baré, coordenadora do Departamento de Mulheres Indígenas do Rio Negro da Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (Foirn); Mário Nicácio, vice-presidente da Confederação dos Povos Indígenas da Amazônia Brasileira; e, pelo UNICEF, Ítalo Dutra, chefe de Educação do UNICEF no Brasil, e Anyoli Sanabria, coordenadora do Território Amazônico.

A série de webinários conta com a parceria da Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (Foirn), do Conselho Tradicional Guarani e Kaiowá Aty Guasu (Atyguasu), da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab), da Organização dos Professores Indígenas do Acre e do Conselho de Educação Escolar Indígena do Amazonas.

O tema a ser discutido nesse primeiro encontro será Direito à decisão: formas internas de cada povo indígena e garantias do Estado brasileiro.

No dia 16 de julho, será a vez do debate sobre Territorialidade, Saúde e Educação Indígena.

O dia 3 de agosto será dedicado ao debate da Educação Escolar Indígena, com o tema Da Educação Básica ao Ensino Superior: criatividades próprias, pedagogias diferenciadas e definição dos projetos educacionais.

Além do debate central, a série de encontros tem por objetivos aproximar ao cotidiano do UNICEF as populações indígenas no território brasileiro; compreender seus desafios locais e elaborar estratégias conjuntas de superação, através da constituição de bases interculturais, específicas e diferenciadas para o desafio institucional “Um UNICEF para cada criança”; e propor subsídios para pactuações de ações promovidas pelo UNICEF com os governos municipais e estaduais em seu Programa de País, visando a plena garantia dos direitos das crianças e dos adolescentes indígenas no Brasil.

Acesso aqui:  youtube.com/UNICEFBrasil


Fonte:ONU Brasil

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.