Especialista e técnicos expõem vantagens dos cursos tecnológicos

Os cursos tecnológicos são muito procurados por pessoas que já atuam no mercado e que precisam da qualificação superior com esse foco, explica coordenadora da Fametro

A escolha do curso de graduação é sempre um momento importante na vida das pessoas, já que fatores como afinidade com a profissão, remuneração e demanda do mercado precisam ser levados em consideração no momento da decisão.

As dúvidas são comuns, mesmo para quem já está no mercado de trabalho, mas deseja mudar de carreira. Uma modalidade de cursos que tem se destacado e que oferece diversas vantagens, principalmente para quem procura uma formação em pouco tempo, são as graduações na área tecnológica.

A coordenadora dos cursos tecnológicos do Centro Universitário Fametro, Ana Rosa, explica que essa modalidade tem duração de dois anos e, assim como a graduação tradicional, é reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC), possibilitando ao futuro profissional concorrer a vagas de trabalho com exigência de ensino superior.

Por ter curta duração,

Além de ser um agregador na formação profissional, os cursos trazem as atualizações exigidas pelo mercado em que muitos já estão inseridos.

Também são requisitados por quem precisa se inserir no mercado mais rapidamente e com o respaldo da mesma qualidade proporcionada pelo ensino superior, ressaltou.

Outra vantagem da graduação tecnológica são as certificações intermediárias, que permitem que o estudante consiga ser inserido no mercado de trabalho durante o curso.

“No curso de Gestão de Recursos Humanos, por exemplo, quando o aluno conclui o segundo período, pode obter o certificado de auxiliar de RH. Após o terceiro período, o de assistente de RH. Ao concluir a graduação, o aluno recebe sua certificação de gestor de RH”, disse.

Formada em Gestão de RH, Kelly Melo conta que optou pela graduação tecnológica, pelo fato de ser um curso de curta duração e que permite a rápida inserção no mercado de trabalho.

“Meu objetivo, quando escolhi essa graduação, era ter a formação superior, me estabelecer e depois ingressar em outra faculdade para um curso de bacharelado. Quando iniciei, acabei me apaixonando pela área e abri mão de fazer outra graduação”, afirmou.

Para Kelly, o curso tecnológico prepara o profissional para ser especialista em uma área, mesmo sem fazer uma pós-graduação.

“O tecnológico em Gestão de RH me aprofundou em uma área da Administração e fez com que eu me tornasse uma profissional completa, tendo uma visão total do que realmente é o RH”, afirmou.

Quem também optou pela graduação tecnológica em Marketing foi Jardel Ximenes. Para a escolha, ele levou em consideração o tempo de formação.

“Por ter mais de 40 anos busquei por um curso que pudesse ter a graduação no menor tempo possível e que agregasse mais conhecimento à profissão que já exercia na área de publicidade. Percebi que o mercado exige cada vez mais a qualificação específica e eu precisava dar esse passo. A busca pelo conhecimento precisa ser constante, independente do formato do curso. Optei pelo tecnológico, porque se encaixava naquilo que a minha profissão pedia”, relatou.

Ygor Leite é professor no curso de Gestão da Qualidade. Ele diz que optou pela graduação tecnológica devido à demanda do mercado.

“Pensei em iniciar outro curso, mas acabei escolhendo o tecnológico, porque eu conseguiria concluir em menos tempo e, além disso, o mercado de trabalho tem espaço para novos profissionais. Existem outras graduações no mercado que também inserem, em sua grade, algo em relação à qualidade. Mas, como disciplina, não algo tão específico e direcionado como é o caso do curso tecnológico em gestão da qualidade. E o que o mercado realmente precisa é de profissionais com conhecimento direcionado a áreas críticas”, detalhou.

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.