Sobre Setembro Amarelo [Por Carla Guimarães*]

Sobre Setembro… mês da primavera, que acontece após o inverno e antes do verão. Ocorre no equinócio, momento do ano em que o dia e a noite possuem a mesma duração.

É um período em que ocorre o florescimento de várias espécies de plantas, a natureza fica bela, presenteando o ser humano com flores coloridas e perfumadas.

Assim, somos inclinados a fazermos alusão a nossa própria vida, refletindo sobre o começo de um novo ciclo, que representa o “nascimento”, florescimento, recomeço, clareza e iluminação, e nos inspira a buscar um significado para a vida.

Somos convidados a romper velhos padrões, renovar nossa intenção e propósitos e nos prepararmos para esse novo ciclo, buscando equilíbrio e qualidade de vida.

Ainda sobre esse mês, nos deparamos com o Setembro Amarelo, campanha que busca mobilização das pessoas para o diálogo sobre o suicídio, compreende-se que ao falar sobre o assunto possibilitamos a quebra dos tabus socialmente construídos ao longo de nossa história, como: “você é forte”, “não existe depressão, é falta de vontade”, “falta de Deus”, “falta de vergonha na cara”, “falta do que fazer”.

Sabemos que há certa ignorância das pessoas quando o assunto é saúde mental, e que muitas vezes, não queremos saber sobre isso ou fingimos que nada está acontecendo. Compreendemos que Saúde Mental, é um pilar tão importante quanto os outros aspectos da saúde, considerados pela OMS.

Há necessidade de conscientizar as pessoas sobre esse problema tão grave, que ceifa tantas vidas. Há informações de que no mundo, aproximadamente uma pessoa se mata a cada 40 segundos. No Brasil, o suicídio é a quarta causa mais comum de morte de jovens.

E a prevenção do suicídio, tem por objetivo conscientizar as pessoas deste grave problema, que está ligado a depressão ou a outros transtornos mentais.

Assim, os motivos que levam ao suicídio podem ser bem diferentes, e muitas pessoas já pensaram em suicídio. Segundo estudo realizado pela Unicamp, 17% dos brasileiros, em algum momento, pensaram seriamente em dar um fim à própria vida e, desses, 4,8% chegaram a elaborar um plano para isso. Em muitos casos, é possível evitar que esses pensamentos suicidas se tornem realidade.

Dessa maneira, como podemos identificar esse problema? Ficando atentos ao isolamento, mudanças marcantes de hábitos, perda de interesse por atividades de que gostava, descuido com aparência, piora do desempenho na escola ou no trabalho, alterações no sono e no apetite, frases como “preferia estar morto” ou “quero desaparecer” podem indicar necessidade de ajuda.

Posso ajudar? Qualquer um de nós pode ajudar. A ajuda pode vir de um amigo, parente, colega de trabalho ou escola, professores, ou alguém que está próximo a quem precisa e também dos voluntários do CVV.

O Setembro Amarelo é um mês de diálogo. É um mês que busca criar conversas sobre o assunto, deixar as pessoas que sofrem com pensamentos suicidas saberem que elas não estão sozinhas e que a morte não é solução.

Conte Comigo! Primavere-se!

*A autora é professora de Psicologia do Centro Universitário Fametro

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.