Morre, aos 64 anos, o tuxaua Sateré-Maué Amado Menezes, vítima de Covid-19

O tuxaua geral da etnia Sateré-Mawé, Amado Menezes Filho, morreu hoje à tarde, aos 64 nos, no Hospital Regional Jofre Cohen, em Parintins (AM), vítima de Covod-19. Ele estava internado desde o dia 23 de setembro.

Amado era natural da aldeia Ponta Alegre, no rio Andirá.

Os familiares de Amado esperavam que ele viesse a ser transferido para Manaus, mas, nessa terça-feira, o Comitê do Coronavírus em Parintins informou que o estado de saúde do paciente muito grave. Isso não permitia que ele viajasse.

Outros dois tuxaua Plácido Dias de Oliveira, 80, da aldeia Boa Vista,  do Andirá; e Otávio dos Santos, 67, da aldeia São Benedito, do Marau, morreram vítimas da Covid-19.

Os Sateré-Maué habitam terras banhadas pelos rios Andira e Marau, que estão nos municípios de Parintins e Maués (AM), no Médio Amazonas.

Distrito Sanitário Especial Indígena (O Dsei/Parintins afirmou há cerca de 15 dias que o número de infecção do coronavirus entre os indígenas havia aumentado. O próprio Amado também havia denunciado que as autoridades sanitárias brasileiras estão deixando os índios sem proteção à doença, principalmente quando desmontam a Funai e fazem vistas grossas às invasões de suas terras.

Nota Fúnebre

O Capitão Geral da Tribo Sateré-Mawé, Aldamir Sateré, vem Comunicar que faleceu nesta tarde no Hospital Jofre Cohen, em Parintins, o Líder TUXAUA GERAL AMADO MENEZES FILHO, Natural de Ponta Alegre.

Quero em nome da minha família e dos meus familiares transmitir nossas condolências a família do Tuxaua Amado Menezes.

Descanse em paz TUI’S

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.