Agência da ONU lança iniciativa para combater Doença de Chagas

Compartilhe:

Neste 14 de abril, a ONU marca o Dia Mundial de Combate à Doença de Chagas.

O Mecanismo Internacional de Compra de Medicamentos (Unitaid) informou que uma das maiores preocupações é com a transmissão vertical, a da mãe para o bebê, devido a diagnóstico e tratamentos tardios.

Doença silenciosa

Para marcar o Dia Mundial, a agência lançou uma campanha para melhorar testes e cuidados. O diretor de Comunicação do Unitaid, Maurício Cysne, descreveu os desafios da infecção, que na maioria dos casos é assintomática.

“A doença de Chagas afeta de 6 a 7 milhões de pessoas por ano em toda a América Latina. É uma doença silenciosa. Ela afeta os mais pobres, os mais vulneráveis e mata lentamente. Cerca de 2 milhões mulheres, em idade fértil, são cronicamente afetadas por Chagas. E a transmissão da mãe para o filho é uma via de infecção crítica, uma vez que a doença não é detectada ou tratada tantos nas mães como nos seus recém-nascidos.”

A nova campanha também quer promover um cuidado integral a mulheres e recém-nascidos em quatro países, onde a doença é mais endêmica: Brasil, Bolívia, Colômbia e Paraguai.

O Mal de Chagas já foi considerado endêmico na América Latina. Foto: Unic Bogota/Dagoberto Muñoz

Fiocruz

Com um orçamento de US$ 19 milhões, o Unitaid conta com apoio de parceiros nos setores público e privado, como explicou Maurício Cysne.

“No Dia Mundial da Doença de Chagas, a Unitaid tem o orgulho de anunciar o lançamento de um novo programa para eliminação da transmissão de mãe para filho de Chagas no Brasil, Bolívia, Colômbia e Paraguai. Este processo será implementado por um consórcio de parceiros, liderado pela Fundação Oswaldo Cruz, a Fiocruz, no Brasil. E se concentrará no teste, tratamento e cuidado, através de triagem sistemáticas das mulheres e de seus recém-nascidos.”

O Mal de Chagas é causado pelo protozoário parasita, Trypanosoma Cruzi, que é transmitido pelas fezes ou urina de um inseto conhecido como barbeiro.

A infecção causa mais mortes na América Latina que a malária. A Organização Mundial da Saúde, OMS, estima que somente 7% dos pacientes de Chagas são diagnosticados e apenas 1% recebe tratamento adequado.


Fonte: ONU News

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.