FST aposta na iniciação científica para estimular alunos à pesquisa

Compartilhe:

A pandemia do coronavírus, que há um ano virou o mundo de cabeça para baixo, colocou em evidência para a sociedade a importância da ciência e tecnologia. Iniciativas em salas de aula procuram estimular, nos alunos, o interesse pela pesquisa, para que possam, em suas áreas de atuação, contribuir para maiores avanços no país nessa linha. Exemplo nesse sentido, a Faculdade Santa Teresa procura estimular o interesse dos alunos de graduação pela pesquisa, incentivando-os a desenvolver trabalhos de Iniciação Científica (IC).

Segundo a doutora em Ciências da Educação e coordenadora de Pesquisa e Extensão da Santa Teresa, Professora Suelânia Figueiredo, a Iniciação Científica durante a graduação ajuda o aluno a desenvolver diversas habilidades, além de mostrar um segmento a mais da profissão escolhida que pode ser exercida, que é a pesquisa. “Através do trabalho científico, o estudante desenvolve pensamento crítico, a criatividade e a disciplina, habilidades imprescindíveis para qualquer profissional”, afirmou.

O objetivo de incentivar a pesquisa durante a graduação, diz ela, é fazer com que os estudantes ampliem suas experiências, se interessem pela carreira acadêmica, produzam conhecimentos e inovações em diferentes áreas.

“A pesquisa está presente em todos os segmentos e não necessariamente é executada em laboratório. Um advogado, contador, administrador, pode fazer pesquisa e contribuir para o desenvolvimento da sua profissão”, destacou.

Ela explica que o projeto de Iniciação Científica consiste em uma ferramenta de investigação para que o graduando tenha uma experiência de ensino mais aprofundada em determinado assunto no qual tenha interesse. O trabalho é realizado em conjunto com um professor orientador.

De acordo com a professora Suelânia Figueiredo, para o estudante que planeja dar continuidade aos estudos, ingressando em uma pós-graduação ou mestrado, por exemplo, a IC é uma boa experiência.

“Na avaliação curricular, o estudante terá maiores chances de ser aprovado. Mesmo para quem não deseja seguir a carreira acadêmica, a Iniciação Científica apresenta vantagens, pois ajuda no desenvolvimento de diversos aspectos valorizados no mercado de trabalho, como análise crítica, determinação e autonomia”, relaciona.

Cita  a professora, também como vantagem, o networking com professores e profissionais da área que, independente do caminho escolhido na carreira, pode ajudar em uma colocação no mercado.

A professora Suelênia ressalta que a Faculdade Santa Teresa possui um programa de IC, com publicação de editais semestrais. Além disso, a faculdade realiza seminários, com palestrantes de diversos segmentos para estimular a troca de conhecimento.

“Nestes eventos, procuramos mostrar para os alunos a importância da IC para sua trajetória profissional. Os eventos são também uma oportunidade para apresentar os resultados parciais ou finais de seus trabalhos”, disse.

 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.