Valer celebra o Dia Nacional do Livro Infantil com contação de história

Em comemoração à data, a Valer dará desconto de capa de 50% das suas publicações para crianças, no período de 18 a 25 deste mês.

Compartilhe:

A  Valer vai celebrar o Dia Nacional do Livro Infantil, neste domingo (18/4), a partir das 10h com uma Contação de História, pelo Facebook.

A data refere-se ao nascimento do escritor Monteiro Lobato (1882-1948), precursor da literatura infantojuvenil no Brasil. Seus livros mais lidos são Reinações de Narizinho (1931), Caçadas de Pedrinho(1933) e O Picapau Amarelo (1939).

Suas histórias foram popularizadas pelo seriado infatojuvenil Sítio do Picapau Amarelo, da Rede Globo, que levou entretenimento e aguçou o imaginário de várias gerações.

O vídeo está disponível AQUI

José Banto Renato Monteiro Lobato, em foto de 1920.

 A contação está baseada no livro A força dos Jacarés ou a onça não é o ”bicho” , de Raimundo Nogueira, com ilustração de Josiney Encarnação.

O autor é advogado e escritor, nascido na zona rural de Manacapuru (AM), e desde criança um observador atento dos fenômenos da natureza. Cresceu arrodeado de velhos caboclos contadores de histórias, das quais extraiu a essência das fábulas que apresenta nos seus livros.

A fábula A força dos jacarés…tem como personagens animais que compartilham o espaço amazônico com os seres humanos e outras formas de vida.

Nessa história, o autor faz um apelo à construção de um mundo livre da destruição dos seus habitantes., levando-se em consideração que uns aprendem com os outros, inclusive os humanos com os animais.

Quem narra essa aventura é a contadora de histórias Hanna Vasconcelos.

“Estou muito feliz por participar desse novo projeto da editora Valer e poder mostrar a minha arte para os pequenos leitores”, contou a jovem artista, que também é estudante de Teatro na UEA-Esat, faz parte do Coral da UEA (Maestro Fabiano Cardoso), do grupo Seanny Artes Produções, do elenco Ratamia como protagonista e é líder do ministério de artes da igreja IDPB-Meserete em Petrópolis.

Amazonas

No Amazonas, a história da literatura para crianças e adolescentes se confunde com a história da editora Valer, que adotou, desde a sua criação, há 31 anos, a política de publicar autores desse gênero que valorizam a realidade e o imaginário amazônico.

O escritor e critico literário Tenório Telles afirma em Estudos de Literatura do Amazonas (Valer), livro que escreveu em parceria com Antônio Paula Graça, que a mais importante experiência editorial nesse sentido foi a produção da série As aventuras de Zezé na Floresta Amazônica, concebida pelo poeta Elson Farias,  com grande repercussão entre as crianças, pais e educadores.

” Essa primeira versão da coleção, composta de dez títulos, apresenta conteúdos relacionados ao meio ambiente, às lendas regionais, à vida ribeirinha, aos mitos indígenas e à natureza amazônica”, escreve Telles.

Atualmente, a editoria tem no seu portfólio mais de uma dezena de autores, entre os quais Leyla Leong, Zemaria Pinto, Addiel Moreno, Ana Maria Peixoto, Neuton Corrêa, Wilson Nogueira, Thiago de Mello, Ana Célia Ossa, Aldísio Filgueiras, Noêmia Kazue Ishikaua, Cléber Sanches, Creuza Barbosa e Adriana Barbosa, José Almerindo A. da Rosa, Vera Val, Daniela Soares, Alessandra Karla Leite, Rebeca Tosta Reis e Soraia Magalhães.

Os livros para crianças também criaram espaços aos artistas do desenho e ilustrações.  No livro de Tenório Telles e Antônio Paulo Graça são citados Terezinha Escobar Romhas, Gilmal, Euros, Júnior Lima, Humberto Rodrigues, Josiney Encarnação, Adriano Furtado, Irene Freitas, Alessandra Veccia, Manaus, Otoni Mesquita e Marcos de Paula.

É importante ressaltar, também, o registro do pioneirismo  de Cacilda Barboza, na década  de 1980, com a publicação de Cururu Tei-Tei, Sucuriju-Juju, O Menino Sol, Piripaque e Rapinante.

Para Tenório Teles, a literatura infantil não é só uma necessidade pedagógica, é uma vivência imprescindível no processo de formação das crianças. “É um estímulo para o desenvolvimento da imaginação, para a aquisição de repertório cultural, o domínio da língua e, talvez, o maior dos exercícios para o domínio da escrita”, acentua em sua obra.

Leitura abre portas

Segundo a filósofa Neiza Teixeira, coordenadoria editorial da Valer, é fundamental que os pais, inicialmente, fomentem nos seus filhos o gosto pela leitura, por vários motivos: em primeiro lugar, porque, conforme Bruno Betellheim, ele apresenta para as crianças problemas e soluções, num mundo imaginado, que poderão ajudá-los na idade adulta; em segundo lugar, porque a literatura abre portas para múltiplos mundos, auxiliando na capacidade imaginativa e criativa; terceiro, porque, ainda, revela o belo, que advém por meio da história bem contada, imaginada e das ilustrações, sem as quais o livro inexiste.

“Depois, temos o trabalho objetivo dos professores, que podem contar com um material, por exemplo, os livros da editora Valer, que têm, normalmente, como cenário a Amazônia, o que estimula e fortalece o sentimento de pertença e a integração da criança ou do adolescente no seu mundo”, ressaltou a filósofa.

Promoção

Aos leitores, a Editora Valer está oferecendo um desconto de 50% do valor de capa dos seus livros infantis, no período de 18 a 25 deste mês, para quem realizar suas comprar por meio do meio do whatsapp (número disponível no site da editora), para as compras realizadas por meio whatsapp (92) 99613-1113. A entrega para a praça de Manaus é gratuita.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.