Sete escolas do AM conquistam participação no projeto Robótica Espacial

Compartilhe:

Três escolas da capital e quatro do interior foram selecionadas para participar do projeto piloto Robótica Espacial, promovido pela Universidade de Brasília (UNB) e pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), com o apoio técnico da Agência Espacial Brasileira.

A iniciativa consiste em um curso totalmente digital, de autoaprendizagem, com o uso de uma plataforma pedagógica que oferece aos alunos conhecimentos teóricos e práticos sobre robótica.

Essa plataforma usa simuladores para que os estudantes vivenciem, de forma bem realista, a criação e a montagem de um robô Rover Vehicle, inspirado no projeto Artemis, liderado pela NASA, do qual o Brasil faz parte, por meio da Agência Espacial Brasileira.

Na capital, as unidades escolares selecionadas foram: Escola Estadual (EE) Ruy Araújo, EE Professor Júlio César de Moraes Passos e EE Nathalia Uchôa.

Já no interior do estado, a EE José Mota, de Manacapuru; EE Raymundo Sá, de Autazes; Centro Educacional de Tempo Integral (Ceti) Dom Jorge Edward Marskell, de Itacoatiara; e Escola Estadual de Tempo Integral (EETI) Maria Izabel Xavier Desterro, de Iranduba, foram as escolhidas pelo projeto Robótica Espacial.

Para a secretária executiva adjunta do Interior, professora Ana Maria Araújo, esta é uma oportunidade única para os estudantes desses quatro municípios.

“Este é o momento de ampliar os conhecimentos dos nossos alunos quanto a esta ciência, que estuda as tecnologias e, consequentemente, impulsiona os estudantes a desenvolver competências e habilidades, que são cada vez mais necessárias para o sucesso profissional e pessoal em nossa sociedade”, afirma.

O gestor da EE Nathalia Uchôa, Raphael Xavier, explica que os alunos foram sensibilizados a ter consciência da importância que é participar do programa.

“É um privilégio muito grande participar dessa ação, pois somente 11 mil estudantes de um universo de mais 15 milhões, que existem no Brasil inteiro, poderão ter acesso a esse curso. São alunos de 250 escolas espalhadas pelo País, sendo que, no estado do Amazonas, a EE Nathalia Uchôa é uma das poucas unidades selecionadas. O programa vai dar a oportunidade única aos seus participantes de realizar um curso completo de robótica espacial totalmente gratuito”, contou.

Ainda conforme o gestor, o curso vai proporcionar aos estudantes os conceitos de cada componente de robótica, como montagem, interligação, configuração e programação, chegando até o robô concluído.

 

“A participação da EE Nathalia Uchôa no programa contribui, primeiramente, com a ampliação da motivação dos estudantes no desempenho de suas atividades escolares, pois eles se sentem valorizados por estar envolvidos em ações pedagógicas como essa. Além disso, robótica e programação computacional são temas muito interessantes e necessários para o desenvolvimento de uma educação para o futuro”, finaliza Xavier.

Etapas

Durante as etapas do curso, os alunos passam por reforços didáticos, resumos simplificados, dicas práticas, testes e avaliação progressiva. As aulas combinam teoria e prática, simulam o uso de multímetros, ferramentas mecânicas, motores, microcontroladores, protoboards, leds, sistemas elétricos e módulos bluetooth.

Três escolas da capital e quatro do interior foram selecionadas para participar do projeto piloto “Robótica Espacial”, promovido pela Universidade de Brasília (UNB) e pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), com o apoio técnico da Agência Espacial Brasileira. A iniciativa consiste em um curso totalmente digital, de autoaprendizagem, com o uso de uma plataforma pedagógica que oferece aos alunos conhecimentos teóricos e práticos sobre robótica.

Essa plataforma usa simuladores para que os estudantes vivenciem, de forma bem realista, a criação e a montagem de um robô Rover Vehicle, inspirado no projeto Artemis, liderado pela Nasa, do qual o Brasil faz parte, por meio da Agência Espacial Brasileira.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.