Dinheiro de edital fortalece pesquisas da Fcecon na área genômica

Compartilhe:

Alterações genéticas e sua relevância no tratamento de pacientes com câncer são tema de pesquisas que serão desenvolvidas na Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), após aprovação em edital de financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam). O anúncio foi feito na última segunda-feira (31/05).

A FCecon teve dois projetos aprovados no Programa Amazônidas – Mulheres e Meninas na Ciência, e as pesquisas têm prazo de execução de 12 e 18 meses. Os projetos receberão um aporte de R$ 350 mil para implementação e são uma oportunidade para um importante passo nos estudos de genômica em Oncologia no Amazonas.

“A Fundação Cecon não perdeu oportunidade de buscar recursos para pesquisa, para fomentar estudos voltados para a área de genômica. Esse investimento será aplicado em estudos que vão ampliar as nossas capacidades investigativas relacionadas a tumores, entrando na área genômica, dando suporte e retorno para a decisão assistencial, tanto no sentido da prevenção, quanto no prognóstico”, destaca a diretora de Ensino e Pesquisa (DEP) da FCecon, farmacêutica-bioquímica Kátia Torres.

 Intestino e reto

Uma das linhas de pesquisa estudará a “Identificação de mutações em genes supressores e de suscetibilidade envolvidos na resistência ao tratamento de pacientes com câncer de colorretal do estado do Amazonas”, que tem como coordenadora a pesquisadora da DEP, farmacêutica-bioquímica Valquíria Martins.

“Queremos identificar se os nossos pacientes possuem mutações características da região, e verificar se ele terá um mau ou bom prognóstico. Conseguindo identificar determinada mutação que apresenta dificuldade em resposta ao tratamento, podemos verificar na comunidade científica um outro tipo de tratamento que tenha uma resposta melhor para este tipo de mutação”, explica Martins.

O projeto realizará testes moleculares, selecionando as mutações mais prevalentes na região, que podem ter um impacto no tratamento oncológico e investigar se os pacientes da FCecon possuem ou não a mutação, avaliando o desfecho do tratamento.

Tireoide

A outra pesquisa contemplada buscará analisar a prevalência de vírus oncogênicos na tireoide de pacientes com neoplasias nessa glândula, após verificar-se uma maior frequência de casos na Fundação Cecon, como explica a pesquisadora e cirurgiã-dentista Lia Mizobe.

“Com esse aumento, tornou-se interessante estudar as neoplasias da glândula tireoide e se temos algum vírus oncogênico em potencial associado. Esse estudo é interessante para a Fundação Cecon, porque temos um grande número desses pacientes, que na maioria é do sexo feminino”, diz Mizobe.

O projeto abre novas perspectivas para o tratamento e pesquisas na área. “Se identificarmos algum vírus, poderemos desenvolver técnicas de rastreamento e prevenção e, quem sabe no futuro, incentivar pesquisas para desenvolver uma vacina que possa ajudar na prevenção dessas neoplasias de glândula tireoide”, afirma a cirurgiã-dentista.

 Tecnologia e evolução

As duas pesquisas serão desenvolvidas no Laboratório de Biologia Molecular da FCecon, que é coordenado pela Diretoria de Ensino e Pesquisa, está sendo estruturado e já conta com equipamentos que permitem fazer diagnóstico e verificar a presença ou ausência de mutações e patógenos.

Será possível ainda utilizar equipamentos de sequenciamento genético da Rede de Genômica em Saúde do Amazonas (Regesam), da qual a FCecon faz parte.

O envolvimento de pesquisadores da Fundação e de outras instituições, de médicos residentes, equipe laboratorial e de acadêmicos é outro importante ganho para a instituição e para a comunidade científica.

FVS-AM aprova projeto de combate à malária

Pesquisadoras da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) também foram beneficiadas com bolsas para pesquisa científica do Programa Amazônidas – Mulheres e Meninas na Ciência.

O projeto da FVS-AM selecionado pela Fapeam intitula-se “Estudo da Viabilidade da Implementação de Telas Impregnadas com Inseticidas de Longa duração (TILD’s) e de identificação de unidades fontes e sumidouros com novas ferramentas para o controle da malária no estado do Amazonas”, que visa avaliar novas ferramentas para o combate à malária no Amazonas.

A subgerente de Entomologia (SGENTO/FVS-AM), e coordenadora da pesquisa selecionada, Érica Chagas, destaca a importância do projeto para o Estado.

“A malária é um problema comum na região amazônica, por conta disso, a FVS está sempre realizando pesquisas na intenção de avaliar ferramentas inovadoras que possam colaborar no controle à malária no Estado”, relatou Érica.

Pesquisa

A pesquisa das TILD’s foi elaborada por Érica, em parceria com a responsável pela Gerência de Doenças de Transmissão Vetorial (GDTV/FVS), Myrna Barata, a bióloga do GDTV, Emily Silva, o Engenheiro Ambiental do GDTV, Jadson e a ex-estagiária e bióloga Arineia Soares.

Casos da doença

Até maio de 2021 foram notificados 17.311 casos de malária do Amazonas, contra 22.509 no mesmo período do ano passado, o que significa uma redução de 23% dos casos este ano.

Referência

A FVS-AM é a primeira fundação pública estadual do país a reunir as vigilâncias epidemiológica, ambiental, sanitária e laboratorial. O órgão funciona, para atendimento ao público, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, na avenida Torquato Tapajós, 4.010, Colônia Santo Antônio, Manaus. Os contatos são (92) 3182-8550 e 3182-8551.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.