Reitores apelam à Câmara por recomposição orçamentária das universidades

Compartilhe:

A reitora da Universidade Federal do Acre (Ufac) e representante da Andifes , professora Guida Aquino , pediu apoio dos deputados para a recomposição orçamentária das universidades federais.

Ela participou, juntamente reitores de outras universidades federais, da audiência pública virtual da Câmara dos Deputados, na manhã desta quarta-feira (2/6), para tratar da recomposição do orçamento das universidades públicas federais.

“As universidades federais são responsáveis por mais de 95% da produção científica do Brasil. Precisamos do apoio do Congresso para continuarmos nosso compromisso com a sociedade”, declarou.

Os reitores expuseram aos membros da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle os impactos dos progressivos cortes orçamentários nas atividades básicas universitárias.

O pró-reitor de Planejamento da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), professor Maurício Freire, destacou que a Universidade Federal de Minas Gerais é a instituição que teve o maior corte percentual.

“De acordo com os indicadores auditáveis, são mais de 76 milhões de reais. Não entendemos a lógica aplicada. Foi um afunilamento abrupto, com corte de recursos próprios de 39,66%”, afirmou.

O reitor da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), professor Sylvio Puga, destacou a necessidade da reposição orçamentária para 2021.

“A reposição é fundamental para que as atividades de ensino, pesquisa, extensão e inovação tecnológica não sejam comprometidas pela redução de custeio, investimento e assistência estudantil”, ressaltou o gestor.

O secretário adjunto de educação superior do Ministério da Educação (MEC), Tomás Dias Sant’Ana, declarou que já existe uma sinalização de desbloqueio.

“Não temos a previsão, mas a proposta é termos reuniões semanais com os reitores. Já temos uma sinalização de desbloqueio pelo Ministério da Economia”, afirmou.

Também participaram da audiência os reitores da Universidade Federal da Bahia ( UFBA), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), da Universidade de Brasília (UNB), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Confira, na íntegra, a audiência pública.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.