Nutricionista dá dicas de como introduzir os alimentos na rotina dos bebês

Compartilhe:

A introdução alimentar dos bebês é uma fase que gera muitas dúvidas por parte dos pais. É um momento de aprendizado não só para a criança que está descobrindo um mundo totalmente novo, com cores, sabores e texturas que ele nunca tinha entrado em contato, mas também para quem prepara e oferece os alimentos.

Segundo a nutricionista do Pátio Gourmet, Livia Ribeiro, a orientação da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) é para que a introdução alimentar dos bebês seja iniciada a partir do sexto mês de vida.

Ela explica que, antes desse período, o sistema digestivo da criança não está completamente preparado para outros tipos de alimentos que não seja o leite, de preferência o materno.

Lívia ressalta que não há uma ordem ou padrão a ser seguido na introdução alimentar, mas é muito importante que a comida seja natural, evitando açúcar, sal e qualquer tipo de produto industrializado.

Um dos grandes erros que deve ser evitado, de acordo com a nutricionista, é oferecer alimentos açucarados ou inserir sal ou até temperos prontos com o objetivo de melhorar o sabor ou a aceitação da criança.

Estudos mostram que crianças que recebem açúcar antes dos dois anos de idade correm maior risco de desenvolver obesidade, doenças cardiovasculares e diabetes, ainda na infância. Aquelas que ingerem sal antes de um ano, podem ter pressão alta.

“Quando há o contato muito cedo com esses tipos de produtos, a tendência é que o bebê recuse os alimentos naturais e com isso acabe tendo uma alimentação pobre em nutrientes essenciais para o seu crescimento”, afirmou.

Lívia orienta que os pais comecem a introdução alimentar pelas frutas e vegetais.

“Deixe que a criança experimente e toque nos alimentos. Mesmo que no primeiro momento o bebê cuspa, pareça não gostar de determinada fruta ou legume, os pais devem oferecer novamente, já que em um segundo momento, com o paladar mais adaptado, ele pode aceitar melhor”, disse.

A introdução dos alimentos deve ser feita de maneira gradativa e a textura pode evoluir conforme os meses do bebê.

“A ideia é que quando chegar no primeiro ano a criança possa estar fazendo as refeições com diferentes tipos de alimentos e nutrientes”, destacou.

A nutricionista recomenda, ainda, que os pais optem por oferecer frutas naturais, ao invés de sucos, ou as sopas com legumes misturados.

A ideia é possibilitar que a criança conheça diferentes texturas e sinta o sabor individual de cada alimento.

Outra dica é ter uma rotina de horário para as refeições, além de criar um ambiente tranquilo para esses momentos, sem correria, e não substituir o almoço ou jantar por leite, bolachas e guloseimas.

“Em caso de dúvidas ou dificuldades, é sempre importante procurar um profissional da área de nutrição para auxiliar no processo de introdução alimentar”.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.