Universidade Estadual Paulista vence concurso da ONU sobre Agenda 2030

Compartilhe:

O projeto “Araucária”, da Universidade Estadual Paulista, venceu o concurso Challenge Campus 2030, que distingue universidades e faculdades de todo o mundo em busca de soluções para que os campi do futuro ajudem a alcançar os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

O Challenge Campus 2030 é organizado pela Agência Universitária da Francofonia (AUF), o Centro de Informação Regional das Nações Unidas (Unric) e a plataforma de inovação aberta Agorize,

Projeto

O projeto vencedor combina a conservação e preservação da biodiversidade com a melhoria da mobilidade no campus.

Projeção na sede da ONU sobre a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. Foto: NU/Cia Pak

A iniciativa prevê a construção de ciclovias, a plantação de várias espécies de árvores, reabilitando a paisagem envolvente, um curso de água altamente poluído, e criando um espaço protegido.

Em setembro passado, 680 times de alunos e professores, de quase 80 países, apresentaram os projetos inovadores para transformas espaços universitários de forma mais sustentável ​​e inclusiva.

Em 11 de junho, foi anunciada a escolha dos três vencedores num evento virtual.

Premiados

O prémio da Agência Universitária da Francofonia foi atribuído à Universidade de Liège, Bélgica, com o projeto “2030 Ensemble: 30 desafios por ano”.

O objetivo é reunir alunos dispostos a mudar o seu estilo de vida e de consumo para reduzir em 50% a pegada de carbono até 2030. Lançada em setembro último, a plataforma já conta com mais de 600 alunos.

O segundo lugar foi para a Universidade de Bahçeşehir com o projeto “Campus Swap”, que visa tanto a redução do consumo de roupa como o combate à violência a mulheres.

As Nações unidas consideram que os jovens desempenham um papel fundamental na formulação da Agenda 2030, sendo o seu envolvimento fundamental para garantir um desenvolvimento sustentável. Foto: Onu Info/ Florence Westergard

A ideia é promover a troca de roupas usadas e receber, durante o processo de recolha das roupas, conselhos, dicas úteis e outras informações para prevenir e combater a violência de género.

Os três vencedores serão apoiados pela organização Pulse para desenvolver o seu projeto.

Três outras equipas participaram na final: “Agri Coop”, de Marrocos, com um projeto de cultivo de plantas medicinais e aromáticas gerido por alunos com deficiência, “La Girafe du Congo”, um restaurante universitário auto-gerido para lutar contra a fome e a melhoria das condições de vida dos estudantes e, por fim, “Chemsorter”, do Líbano, para gerir melhor os resíduos químicos dos laboratórios universitários.

O concurso é apoiado por diversas organizações parceiras, incluindo a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, a Agência Francesa de Desenvolvimento, AFD, o Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento, IRD, e as associações Enactus e SoSciences.

O próximo Desafio Campus 2030 terá início em setembro de 2021.


Fonte: ONU News

*Com reportagem do Unric- Bruxelas

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.