Relatório cientifico reafirma que Amazônia está sob risco de destruição

Compartilhe:

Em  relatório preliminar divulgado no último dia 14 de julho, mais de 200 cientistas do planeta chamam atenção para os riscos que a destruição da floresta amazônica traz ao mundo.

O trabalho é uma iniciativa da Rede de Soluções para o Desenvolvimento  Sustentável da Organização das Nações Unidas (SDSN/ONU), no capítulo Amazônia, que reúne instituições e pesquisadores dos nove países que compõem a região que abriga a maior floresta tropical do mundo.

Estruturado em 33 capítulos, o  Painel Científico para a Amazônia (Science Panel for the Amazon) é a avaliação mais detalhada do estado da floresta amazônica na atualidade.

Riscos da destruição contínua

Entre os principais apelos científicos contidos no relatório estão a redução do desmatamento e da degradação da floresta a zero em menos de uma década e o reflorestamento de áreas já destruídas, considerando que a contínua destruição causada pela interferência humana coloca mais de 8.000 plantas endêmicas e 2.300 animais em alto risco de extinção na Amazônia.

O relatório tem entre seus colaboradores, cientistas como Jeffrey Sachs, professor de Economia na Universidade de Columbia; Gregorio Mirabal, do povo indígena Curripaco da Venezuela e Ricardo Abramovay, professor sênior do Programa de Ciência Ambiental do Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo (IEE/USP) e autor de “Amazônia: por uma economia do conhecimento da natureza.

Participação da Ufam

Entre os docentes da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) que participam do seleto grupo de cientistas do Painel Científico para a Amazônia estão os professores Henrique Pereira e Tatiana Schor.

A Amazônia que queremos

Segundo o professor Henrique Pereira, coordenador do Atlas do Desenvolvimento Sustentável do Estado do Amazonas e representante da Ufam na Rede de Soluções para o Desenvolvimento Sustentável da ONU, que envolve as instituições da região amazônica que elaboram soluções para o desenvolvimento sustentável da região, o relatório do Painel Científico para a Amazônia ainda está aberto para receber contribuições.

“Como capítulo Amazônico, a Ufam é membro e eu sou o ponto focal, vez que sou o coordenador do Atlas do Desenvolvimento Sustentável do Amazonas, responsável, portanto, por monitorar as 175 metas dos 17 objetivos do Desenvolvimento Sustentável para os nossos municípios. Tais objetivos são previstos pela Agenda 2030, uma agenda global que tem o Brasil como um de seus signatários e, consequentemente, com o compromisso de adotar as medidas que resultem no alcance das metas até 2030. Os capítulos prontos do Painel Científico para a Amazônia estão, além de disponíveis para consulta, abertos a contribuições. As colaborações podem ser adicionadas no link que está disponível no site www.theamazonwewant.org”,

Henrique Pereira, professor  titular da Ufam e membro da Academia Brasileira de Ciência Agronômica (ABCA).


Fonte: Ufam/Ascom

Texto: Márcia Grana

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.