Editora Valer lança cinco obras infantojuvenis com foco em novos leitores

Compartilhe:

A Editora Valer acaba de lançar no mercado de leitores de língua portuguesa mais cinco livros para crianças e adolescentes, pela primeira vez, no formato 23 cm por 26 cm, capa dura, colorido e miolo com papel offset 180g/m2.

Os títulos são: A origem do Solimões, de Barbosa Rodrigues; O reio e o jardineiro, de João de Jesus Paes Loureiro; A faca e a vaca, de José Almerindo A. da Rosa, todos com a ilustração de Alessandra Veccia; A borboleta amarela, de Elson Faria, com a ilustração de Rodrigo Abrahim, e O príncipe soberbo, de Zemaria Pinto, com a ilustração de Josiney Encarnação.

“São livros para encantar mentes, olhos e corações de crianças, jovens e adultos”, definiu o editor da Valer, jornalista Isaac Maciel, que se diz muito satisfeito com a realização do projeto.

Os temas estão relacionados com questões humanas universais, como a formação da personalidade, os ciclos da vida e os mistérios da transformação dos series vivos, a esperança, o otimismo, o estímulo ao pensamento filosófico, a compreensão do tempo e da existência efêmera, o afeto e a amorosidade.

São todos assuntos que estão na pauta da luta da humanidade para aperfeiçoar o relacionamento entre humanos e o ambiente que compartilham com outros seres vivos, o planeta Terra.

Todos os autores são conhecidos dos leitores amazonenses e têm publicações pela Valer, inclusive Barbosa Rodrigues, o legendário João Rodrigues Barbosa (1842-1909), autor de Poranduba amazonense.

Os ilustradores são os mais expressivos e, também, reconhecidos da literatura infantojuvenil brasileira. Josiney Encarnação tem ilustrado a maioria dos livros recém-publicados pela editora; a italiana Alessandra Veccia já havia ilustrado Meninos-Árvores, de Daniele Soares, escritora amazonense que mora em Portugal; Rodrigo Abrahim iniciou a sua carreira na Valer, na década de 1990, e depois se transferiu para São Paulo, onde se tornou ilustrador preferencial de autores (a)s e editoras.

Maciel disse que nessas obras “de uma única fornada” tem destaque o fator criativo que envolve autor, ilustrador e os profissionais do Núcleo de Artes da editora, coordenado pelo designer Heitor Costa.

E explica: “Um livro, para ser agradável e surpreender o leitor com sua proposta educativa e estética, precisa afinar as linguagens que as constituem, tais como: escrita, ilustração, apresentação (designer gráfico e editorial) e textura do material empregado”.

Esses livros também ganharam reforço em qualidade para durar mais nas mãos das crianças. É um formato com características de maior resistência, a começar pela capa dura.

Maciel revela que esse projeto esteve em processo de amadurecimento por alguns dos quase trinta anos de existência da editora. A hora é esta, porque, segundo Isaac, a editora está mais conhecida no mercado nacional, tem maior capilaridade de distribuição física e venda pela internet.

E mais: “O mercado de leitores dos países de língua portuguesa, hoje signatários de um acordo ortográfico, está mais promissor”.

Biblioteca em casa

A coordenadora editorial da Valer, filósofa Neiza Teixeira, disse, por sua vez que a editora inicia um projeto, no qual o leitor infantojuvenil tem em mãos livros, em capa dura e num formato maior, com ilustrações riquíssimas, cujo objetivo é incentivar, ainda mais, a leitura na fase inicial da vida.

“Os livros são impressos num tipo de material que favorece não somente a leitura, como também a durabilidade, permitindo que ele comece a construir a sua biblioteca em casa”, comentou ela.

A origem do Solimões

Trata-se de uma das lendas amazônicas pinçadas da obra Poranduba amazonense, de João Barbosa Rodrigues.

A história de amor que unia o Sol e a Lua nos ensina uma importante lição: às vezes precisamos tomar decisões difíceis em nome de um sentimento maior.

No nosso caso, o bem maior era salvar o mundo. E foi isso que o Sol e a Lua fizeram – o que não significa que os dois deixaram de se gostar.

O amor deles era tão grande que gerou um grande rio, que você só vai saber como, se navegar nas águas dessa narrativa.

Esse rio é tão bonito, que transformou o mundo, que você vai descobrir ao ler este lindo e comovente relato. Que espero que você goste.

Tenório Telles, escritor, ensaísta e crítico literário.

A borboleta amarela  

A borboleta amarela é uma mensagem da esperança, do tempo, da transformação e uma protetora da vida no planeta.

A conjugação da poesia com a ilustração é um convite perfeito para o leitor admirar e meditar sobre a vida por meio do poema de Elson Farias.

Danielle Soares, escritora

O príncipe soberbo

Zemaria Pinto nos conta a história do príncipe soberbo, que vivia num reino não muito distante, o que o aproxima de cada um de nós, ainda que não sejamos príncipes, reis ou rainhas.

O encontro [dele] com o sábio, levou-o a partir em busca da Mãe-Velha, figura que se repete nas histórias do autor. Em retiro, ficou algum tempo. Quando retornou, não era mais o mesmo. Os ensinamentos da Mãe Velha o fizeram mudar, a reconhecer seus erros e a pedir desculpas ao seu povo; a encontrar uma jovem humilde, com quem se casou e foi feliz para sempre.

O editor

O rei e o Jardineiro

Este poema é uma homenagem à vida. Um elogia à beleza e uma mensagem de otimismo para todos nós. Então, continuemos a construir a nossa obra, pois as flores e os pássaros continuarão dizendo que vale a pena a beleza e a vida.

Neiza Teixeira, filósofa e coordenadora editorial da Valer

 

A faca e a vaca 

Ele traz uma reflexão sobre a existência e o lugar num mundo construído por nós, no qual atribuímos níveis de importância às coisas. O diálogo entre a faca e a vaca é dirigido a todos como uma chamada de atenção para o modo pelo qual tratamos as pessoas e nos utilizamos das coisas.

É um roso, uma crítica necessária, um mundo visto às avessas.

N.T.

Catálogo de mais de 1.500 títulos

A editora atua há mais de 20 anos no mercado editorial brasileiro. Hoje possui um acervo composto por mais de 1.500 títulos.

São livros que versam sobre literatura universal e brasileira, com destaque para a produção literária do Amazonas – poesia, romances, contos, artes, teatro e ensaios.

O catálogo da editora está constituído de edições e reedições de obras clássicas e textos referenciais em diversos gêneros. Também a publica obras de autores contemporâneos.

A Valer publica obras expressivas do pensamento amazônico em diversos segmentos reflexivos: estudos sobre educação, economia, história, antropologia, temas indígenas, cultura e sociedade, além de acadêmicas, didáticas e de interesse geral.

Dispõe também de um amplo catálogo de livros para crianças e jovens, ambientados no imaginário amazônico.

Outra vertente do trabalho da editora é a ênfase no resgate de textos relevantes há muitos anos fora de circulação e que estão sendo recuperados, enriquecidos por estudos analíticos, com ortografia atualizada, e disponibilizados para os leitores, a exemplo de A viagem filosófica, de Alexandre Rodrigues, Simá, de Lourenço Amazonas, e Poranduba amazonense, de Barbosa Rodrigues.

No gênero literário infantojuvenil, a Valer se destaca como a editora que possui um projeto de publicação de autores que tratam de temas amazônicos em diálogo com temas universais.

O escritor e poeta Elson Farias, por exemplo,. publicou, entre outros,  os  livros da série intitula As aventuras de Zezé, que Têm a Amazônia como ambiente temático.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.