Os três Reis Magos na versão de Marco Polo

Compartilhe:

[…]

A Pérsia era noutros tempos uma grande província, mas os tártaros destruíram tudo. Na Pérsia encontra-se a cidade de Sava e dali partiram os Três Reis Magos, quando vieram adorar Jesus Cristo.

Nesta cidade estão eles sepultados em três magníficos túmulos, encima-os uma tabuleta de pedra, muito bem lavrada. Estes túmulos encontram-se lado a lado; os corpos dos Reis Magos estão intactos, em como as barbas e o cabelo.

Um se chama Baltaza, o outro Gaspar e o terceiro Belchior.

Messer Marco fez um interrogatório a várias pessoas sobre os três reis, a não ser que não eram na verdade reis e que estavam ali sepultados ali desde a mais remota antiguidade.

Mas eu vou contar-vos o que ele averiguou mais tarde sobre este assunto.

Um pouco mais distante, três dias de eviagem, encontra-se um alcáçar chamado Gasalaca, isto é, castelo, Castelo dos Adoradores do Fogo. Isto corresponde à verdade, pois estes homens adoram o fogo; e vou dizer-vos por que é que o adoram as gentes desse castelo.

Conta-se que, na antiguidade, três reis desta região partiram para adorar a um profeta que acabara de nascer e levaram-lhe presentes: ouro, incenso e mirra, para saberem se esse profeta era Deus, se era rei da terra ou mago.

E comentavam que, se pegasse o ouro, seria rei terreno; e se pegasse o incenso, seria um deus; e se pegasse a mirra, então seria um mago.

Chegando ao local onde havia nascido o menino, o mais novo daqueles reis saiu da caravana e foi sozinho vê-lo, e verificou que era parecido consigo próprio, pois tinha a sua idade e estava vestido como ele; e ficou assombrado o Rei Mago.

Logo a seguir foi o segundo Rei Mago, que era de meia-idade, e certificou-se do mesmo; aumentava a surpresa deles.

Finalmente foi o terceiro rei, que era o mais velho dos três, e sucedeu-lhe aquilo que tinha sucedido aos outros.

Ficaram muito pensativos.

Quando se reuniram, contaram uns aos outros o que tinham visto e maravilharam-se todos.

Decidiram então ir os três ao mesmo tempo, encontrando o menino do tamanho e com a idade que lhe correspondia (pois não tinha mais do que três dias).

Prostraram-se diante dele, ofereceram-lhe o ouro, , o incenso e a mirra. O menino aceitou tudo aquilo e em troca ofereceu-lhes um cofrezinho fechado.

Os Reis Magos voltaram aos seus respectivos países.

Após terem cavalgado durante algum tempo, os três reis disseram entre si que queriam ver o que o Menino lhes havia dado.

Abrindo cofrezinho observaram que só tinha dentro uma pedra; surpreendidos, perguntaram o que significava aquilo.

Pois que, tendo o Menino aceitado as três oferendas, compreendido estava que era Deus, rei terrestre e mago; e deveria haver um sentido oculto naquilo tudo.

Com efeito, o Menino deu aos três reis a pedra como a dizer-lhes que fossem firmes e constantes em sua fé.

Os três reis pegaram nela e foram deitá-la a um poço, ignorando ainda do seu significado; e quando a pedra caiu ao poço um fogo ardente baixou do céu, penetrando no poço.

 Vendo isto os reis ficaram estupefatos e arrependeram-se de terem atirado fora a pedra, pois que era um talismã.

Apanharam o fogo que saiu do poço, para leva-lo até aos respectivos países e pô-lo num magnífico e riquíssimo templo.

Desde então, esse fogo continua a arder e todos o adoram como se fora um deus. E os sacrifícios e holocaustos que oferecem são todos com esse fogo sagrado; nunca vão buscar outro fogo que não seja esse, tão maravilhoso, andando léguas e léguas para apanhá-lo quando ele se acaba, isto pelas razões que já conheceis

São numerosas as pessoas que adoram este fogo naquela região.

Tudo isso contado ao meu senhor Marco e também lhe foi dito que, dos três Reis Magos, um era de Sava, outro de Ava e o terceiro de Gasalaca.

E agora que vos contei essa história, citarei outra cidade da Pérsia, falando dos seus costumes e gentes.

[…]

Marco Polo, em O Livro das Maravilhas: a descrição do mundo (LPM, 2009)

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.