Internada em UTI cola grau em Direito por meio do Projeto Chamada do Bem

Compartilhe:

A universitária Daiana Pimenta, 45, gradou-se em Direito, mesmo internada na UTI do Hospital e Pronto-Socorro (HPS) Delphina Aziz, em Manaus, para tratamento de covid-19.

“Quando eu entrei aqui achei que tudo que tinha feito na minha vida tinha se perdido com a doença”, disse Daiana.

Ela teve a oportunidade de participar da colação de grau por meio do projeto Chamada do Bem, desenvolvido pelo HPS Delphina Aziz, com o objetivo de aproximar pacientes isolados de familiares e amigos.

Daiana havia sido internada há doze dias antes da formatura.

“O programa Chamada do Bem é uma videochamada que a gente faz através do WhatsApp com paciente junto com familiar, para ter mais aquela aproximação do paciente que não tem acompanhante, que tá sem telefone, que vai ser intubado, que foi extubado, paciente que está com crise de ansiedade ou quer fazer evasão também”, explica Dayanne Lacerda, assistente administrativa responsável pelo programa.

O momento de celebração em meio à superação foi compartilhado com os colegas de turma, que fizeram uma corrente de mensagens de apoio e esperança para a estudante ao saberem que conseguiram, todos, colar grau juntos.

“Hoje, quando eu contei pra turma que eu estava internada com Covid, recebi mensagens de positividade, de restabelecimento, de apoio e sobretudo de incentivo. Parece que a ficha não caiu e aí veio o ânimo, veio a convicção de que os problemas podem vir, mas os sonhos continuam”, comemorou a formanda.

Projeto

A dinâmica do projeto Chamada do Bem inicia com a indicação dos médicos e coordenadores de enfermagem de quais pacientes estão aptos a participar do projeto. Essa indicação depende do quadro clínico do paciente, sendo informado à equipe assistencial que, posteriormente, entra em contato com a família.

Profissionais multidisciplinares interagem com o paciente, assegurando que ele esteja apto para receber a chamada naquele momento e finalizam a interação com a vídeo chamada.

De acordo com Dayanne, o projeto também gera benefícios aos profissionais da saúde. “Ali você se coloca no lugar do paciente, você vê a sensibilidade que o paciente está e vê a importância que tem essa chamada para um paciente”, define.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.