Livros autorais de egressa da UEA reúnem estudos sobre educação e Amazonas

Compartilhe:

Em defesa da disseminação de saberes acerca da educação infantil, básica e superior, que possibilitam progressos na comunidade, a egressa do curso de pós-graduação em Educação em Ciências na Amazônia da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Alexandra de Andrade, teve quatro obras autorais publicadas.

Os conteúdos dos trabalhos são de valor ímpar para o Estado. A valorização do Amazonas e dos espaços educativos na região fazem as publicações materiais de grande impacto ao meio acadêmico, principalmente às áreas que englobam pedagogia, regionalização e educação como um todo. Além disso, a propagação das pesquisas divulgadas dão visibilidade aos pesquisadores amazonenses.

Sobre os livros

‘Práticas Educativas no Bosque da Ciência’, é uma coletânea de textos que expressam a importância do bosque para trabalhos com diferentes temas, conteúdos e disciplinas da educação básica e superior, uma vez que o Bosque da Ciência é um museu aberto e figura como um dos principais Centros de Ciências da nossa cidade.

‘Práticas Pedagógicas: Ciências em Espaços Educativos não Formais’, se trata de um convite a reflexão sobre o ensino para além da sala de aula formal e evidencia as potencialidades de espaços não formais da cidade de Manaus, como o Parque Estadual Sumaúma, Bosque da Ciência, Corredor Ecológico do Mindu, Museu Amazônico, entre outros.

‘Paneiro de Conhecimentos com/para os Curumins e Cunhantãs’, é uma obra voltada aos estudos e pesquisas em educação infantil, em especial, a educação de crianças do Amazonas. É resultado de um conjunto de pesquisas realizadas com crianças em diversos contextos sociais. Foi construído por Alexandra enquanto mulher amazonense e pesquisadora em processo de formação e descoberta de novos desafios, junto a outros pesquisadores que se debruçam em pesquisas acerca da infância.

‘Práticas Pedagógicas em Espaços Não Formais no Amazonas’, reúne estudos que evidenciam o porquê de desenvolver aulas e experiências em espaços não formais no nosso estado. Os registros referenciam o brilhante do doutor Augusto Fachín-Terán, cujo trabalho foi amplamente dedicado ao ensino de ciências para além dos muros da escola.         Assim, a obra também é uma homenagem ao precursor das discussões, que com muita sabedoria geriu diferentes frentes de trabalho que colocam os espaços não formais em posição de destaque no âmbito da educação em ciências.

Alexandra aponta que o público-alvo das obras são estudantes de licenciatura e pós-graduação em educação e ensino, conta como nasceu a premissa de elaborar os trabalhos. “Os livros emergem da necessidade de reunir diferentes trabalhos e pesquisas que conversam acerca do ensino e educação em espaços não formais, permitindo o diálogo com diferentes autores, além de alcançar diferente públicos”, diz a autora.

Os livros são de acesso livre e podem ser conferidos pelos links abaixo.

https://www.editorapublicar.com.br/praticas-pedagogicas-ciencias-em-espacos-educativos-nao-formais

https://www.editorapublicar.com.br/-praticas-educativas-no-bosque-da-ciencia-manaus-am

https://www.editorapublicar.com.br/paneiro-de-conhecimentos-curumins-e-cunhantas

https://www.rfbeditora.com/ebooks-2021/praticas-pedagogicas-em-espacos-nao-formais-no-amazonas

Fonte: UEA

 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.