Festival de Teatro da Amazônia, 15ª edição, vai apresentar 20 espetáculos

Compartilhe:

O Festival de Teatro da Amazônia divulgou, nesta segunda-feira (20/09), os selecionados para a 15.ª edição do evento, que acontece entre 8 e 16 de outubro, em Manaus e em Iranduba (a 27 quilômetros da capital).

O resultado, com 20 espetáculos distribuídos entre apresentações presenciais e on-line, está disponível no site da Federação de Teatro do Amazonas (Fetam), no endereço https://fetam.com.br/.

Dez selecionados para a Mostra Jurupari vão receber R$ 10 mil, para Mostra Local e Itinerante; já na Mostra Nacional On-Line, o valor é de R$ 2 mil.

Os grupos aprovados devem apresentar até três peças na agenda oficial do evento.

Segundo a coordenadora-geral de produção e vice-presidente da Fetam, Ana Oliveira, é a primeira vez que o festival conta com uma programação tão extensa.

Ela destaca que o formato híbrido permite um alcance maior pelo País assim como a ação de interiorização que vai levar um espetáculo para Iranduba e zonas descentralizadas de Manaus.

“Temos muito trabalho pela frente, estamos com uma seleção bem diversa e queremos acessar essa mesma diversidade de público”, comenta a organizadora. “Poder chegar em cada vez mais pessoas com a nossa arte, exaltando a produção amazônica é o que nos move a partir de agora”.

Cena de A Mulher que Desaprendeu a Dançar. Foto: Ingrid Anne/Divulgação

Mostra presencial

Fina, de Um Teatro Produções;

Menina Miúda, de Menina Miúda Produções;

Abaporutação, de Processo Natimorto;

A Bolha, de Nupramita;

Se Eu Fosse um Rato, de Ítalo Rui;

Jogo do Bicho, do Grupo Garagem;

Santo Casamenteiro, do Grupo Cultural Arte Norte;

Circo de La Mamá, da Cacompanhia de Artes Cênicas;

A Mulher que Desaprendeu a Dançar, de Carol Santa Ana, em parceria com o Ateliê 23.

Cena de Rosas Negras. Foto: Magali Moraes/Divulgação

Mostra nacional on-line

Rosas Negras, de Fabíola Nansurê, da Bahia;

Para Meninos e Gaivotas, um Voo Rasante, da Companhia Sylvia Que Te Ama Tanto, de São Paulo;

 Caio do Céu, da Companhia de Solos & Bem Acompanhados, do Rio Grande do Sul;

À Luz do Luar – Um Fragmento, da Companhia Pão Doce de Teatro, do Rio Grande do Norte.

Suplentes

Incomoda, incomoda, incomoda…, da PANCs, de Minas Gerais

Camarim, do Ateliê Lu Antunes, de Minas Gerais

Mostra presencial itinerante

Mocinha, do Coletivo Experimental de Teatralidades (Ceta)

Suplentes

Ainda Bem que Não Tivemos Filhos, do Grupo Garagem;

Ensaio Geral, de Klindson Cruz.

Cena de Lua de Mel. Foto: Divulgação

Convidados

Imemorial, de Larissa Latif, do Pará

A Borracheira, de O Imaginário, de Rondônia

Desterrados – Um Eco de Reexistência, da Casa Circo, do Amapá

Lua de Mel, de Lamira Artes Cênicas, do Tocantins

Palhaço Microbinho em Família, de Rogério Barcellos, do Acre

Cadê Todo Mundo?, da Criart Teatral, de Roraima.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.