Alter do Chão, antiga aldeia dos Boraris, se tornou vila antes de Satarém

Compartilhe:

Alter do Chão

O mais antigo município de Santarém é Alter do Chão. Essa localidade foi elevada à categoria de Vila antes mesmo que Santarém.

Alter do Chão tem sua origem numa antiga aldeia de índios Boraris, ao tempo dos jesuítas chamada de Missão de Nossa Senhora da Purificação.

No ano de 1758, o então governador da Provincia do Pará, Francisco Xavier de Mendonça Furtado, empreendeu viagem ao longo do rio Amazonas (penetrando também no Tapajós até onde se localizava a Missão de São José, hoje Pinhel) cumprindo determinação do seu irmão , o Marquês de Pombal, Ministro do Rei de Portugal, Dom José I.

Nessa viagem, ele deveria elevar à categoria de Vila as aldeias que apresentassem regular desenvolvimento, substituindo, entretanto, seus nomes nativos pelos de aldeias ou vilas de Portugal.

Foi assim que, em 6 de março de 12758, chegando à aldeia dos Boraris, o general governador elevou-a à categoria de Vila com o nome de Alter do Chão.

Não tem qualquer fundamento de que o nome Alter do Chão tenha suas origens em alto do chão (por causa da chamada serra Piroca) ou mesmo altar do chão, erro até que até mesmo o cientista Henry Walter Bates incorreu, talvez mal informado por algum morador do lugar.

A padroeira da Vila é Nossa Senhora da Saúde.

Era por ocasião das festas da padroeira que os moradores mais antigos reuniam-se para a prática das manifestações culturais vindas desde os seus antepassados, tais como o Sairé (ou Çairé), o Marambiré, o Lundum, a Desfeiteira e o Carimbó.

Os borarienses fazem questão de frisar, ainda hoje, que a sua dança chamada carimbó, nada tem a ver com o carimbó do Leste do Pará.  

É também muito apreciado o cordão junino Cruzador Tupi.

Houve um longo hiato na prática dessas manifestações folclóricas, hoje retomadas em quase todo o seu antigo resplendor.

Em Alter do Chão o que há de mais encantador são uas belas e alvíssimas praias e o Lago Verde, também chamado de Lego dos Muiraquitãs.

Wilde Dias da Fonseca, em Santarém: momentos históricos. Artesanato Gráfico Tiagão: Santarém, S/D.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.