Canal da Fetam no Youtube oferece espetáculos e debates culturais

Compartilhe:

Espetáculos da mostra nacional on-line da 15.ª edição do Festival de Teatro da Amazônia e debates com profissionais de cultura do cenário nacional estão disponíveis no canal da Federação de Teatro do Amazonas (Fetam) no Youtube.

A programação conta com dez peças teatrais e nomes como Ana Carla Fonseca, referência da Economia Criativa; Romulo Avelar, da área de Gestão e Produção Criativa; Galiana Brasil, do Itaú Cultural; e Renato Dolabella, do Direito Cultural Brasileiro.

Com apoio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, o Festival de Teatro da Amazônia faz parte do programa +Cultura, um pacote de ações voltadas à cultura e à economia criativa.

Segundo o presidente da Fetam, Francis Madson, o formato híbrido adotado neste ano ampliou a capacidade de atuação do festival que representa a região Norte e tem muita expressão nacional.

“Mantivemos braços importantes, como as apresentações no Teatro Amazonas e Instalação, mas também abrimos para teatros alternativos e itinerantes, assim como os espetáculos da mostra on-line. Tudo isso reflete a força e a grandeza do festival, em números na plateia, presencial e virtual, em artistas envolvidos na produção e execução, produtores, técnicos e toda cadeia produtiva do teatro”, comenta Madson.

“O formato é inovador e contribui de forma significativa para região Norte e impacta em todo Brasil, com a realização do fórum, a ocupação de teatros importantes e a circulação em Iranduba e em duas zonas da cidade”, completa.

Cenas de Rosas Negras e Mocinha: Fotos: Magali Moraes e Lary Gaynett/Divulgação

Entre as obras disponíveis no canal da Fetam estão Para Meninos e Gaivotas, um Voo Rasante, da Cia. Sylvia Que Te Ama Tanto, de São Paulo; Caio do Céu, da Companhia de Solos & Bem Acompanhados, do Rio Grande do Sul; Rosas Negras, solo de Fabíola Nansurê, da Bahia; À Luz do Luar – Um Fragmento, da Cia Pão Doce de Teatro, do Rio Grande do Norte, Imemorial, solo de Larissa Latif, do Pará; Lua de Mel, de Lamira Artes Cênicas, do Tocantins; Cadê todo Mundo?, da Criart Teatral, de Roraima; Palhaço Microbinho em Família, de Rogério Barcellos, do Acre; A Borracheira”, da Associação Cultural O Imaginário, de Rondônia; e Desterrados – Um Eco de Reexistência, da Casa Circo, do Amapá.

Mostra itinerante

Um dos destaques da edição, o Jandira Theater Move levou o espetáculo Mocinha, do Coletivo Experimental de Teatralidades (Ceta), para a Praça dos Três Poderes, em Iranduba; para o estacionamento do Shopping Phelippe Daou, no bairro Cidade de Deus; e para o Centro de Convivência da Família Padre Pedro Vignola, na Cidade Nova; para falar sobre retaliações e violências sofridas pelas mulheres em uma sociedade machista e misógina.

“A apresentação na mostra foi a realização de um sonho, porque desde o início do nosso projeto que temos a vontade de descentralizar o espetáculo e seguir para o interior do Amazonas, nas áreas periféricas e falar com esse público, principalmente com mulheres que não têm informação de como podem denunciar casos de violência”, afirma a atriz Iris Brasil.

Parceria

Para o secretário Marcos Apolo Muniz, a parceria com a Fetam foi fundamental para a retomada do festival, com a presença do público.

“A nova proposta foi abraçada de imediato pelo Governo do Amazonas, que entende a necessidade dessa retomada da economia da cultura e a importância do público na plateia”, afirma o titular da pasta.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.