Filmes, oficinas e peças de teatro inserem jovens no mundo das artes

Compartilhe:

O primeiro dia da terceira Expedição Cultural reuniu crianças, adolescentes e adultos para uma programação com oficinas e apresentações em Itacoatiara (a 176 quilômetros de Manaus), na segunda-feira (18/10).

Realizada pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa, a ação faz parte do +Cultura.

A primeira fase da terceira edição ainda visita os municípios de Itapiranga, nesta terça-feira (19/10), e em seguida Silves, Urucará e Careiro da Várzea, até o dia 25 de outubro.

O ator Eric Lima, que participa da programação, contou que os jovens da Associação Mãos Solidárias, onde foram realizadas as ações, interagiram em todas as oficinas ministradas pela equipe.

“Eles demonstraram um interesse enorme em cada oficina. Alunos de futebol tiveram aula de encenação teatral e se interessaram muito, assim como as meninas que fazem balé e que fizeram a oficina de dança ficaram empolgadas em aprender novos estilos. Eles nos receberam com muito carinho e atenção”, afirmou.

Além das oficinas de teatro e improvisação de dança, com Klindson Cruz e Ingrid Frazão, também foi realizada a oficina de elaboração de projetos culturais, com ator e produtor cultural Taciano Soares, e noções de Língua Brasileira de Sinais (Libras).

“Eles ficaram muito interessados em como desenvolver os seus projetos e investir em suas carreiras. Tivemos a oportunidade de falar dos editais que ainda estão abertos e tirar dúvidas sobre como acessar e participar”, relatou Eric Lima.

A coordenadora da Associação, Elciane Monteiro, informou que esta foi a primeira vez que o local recebeu uma programação completa, com ações educativas e apresentações. “Todos os nossos alunos gostaram muito. A oficina de Libras foi muito importante para nós que lidamos com o público em geral e temos dificuldade de informar pessoas com deficiência auditiva. Foi uma ação excelente”, destacou.

 Público

Após uma manhã de oficinas, os frequentadores da Associação prestigiaram espetáculos pela tarde. Foram apresentados Tela, de Ingrid Frazão, um espetáculo de dança; Giorgina, com Eric Lima, sobre a adorável personagem que reflete sobre o acolhimento e abandono de idosos; e Ensaio Geral, de Klindson Cruz, que atua com seu personagem, o palhaço Pingo.

Vitória Gomes Cruz, de 13 anos, elogiou os espetáculos e disse que se inspirou na oficina de dança para seguir carreira na área.

“Eu achei incrível, tudo o que vi foi emocionante. O espetáculo de dança foi bem legal, os passos dela foram muito delicados”, declarou. “Antes de entrar na oficina, eu já dançava em casa e pensava em entrar numa oficina, mas não tinha dinheiro. Quando soube dessa, vim participar. Aprendi muito, sobre dançar melhor e sentir a música. Quero fazer algo na área no futuro”.

À noite ainda foram exibidos os curta-metragens A Bela é Poc (com duração de 20 minutos e classificação etária de 16 anos), Enterrado no Quintal (15 minutos, classificação 14 anos) e Terra Nova (22 minutos, classificação 14 anos).

A Associação Mãos Solidárias também foi local para a exposição Olhares de Cena, da fotógrafa Larissa Martins, com registros da produção teatral em Manaus de peças com foco na diversidade sobre mulheres, comunidade LGBT+ e pessoas negras.

 Mania de Ler

O Programa Mania de Ler, criado para incentivar a leitura de diversos públicos, foi mais um destaque na programação da Expedição Cultural. Uma caixa-estante e 130 livros foram entregues na Estação Óscar Ramos, em Itacoatiara.

“São livros que vão complementar ainda mais a leitura dos universitários, alunos e idosos que frequentam a estação, vai agregar muito”, destacou Teomário de Souza, um dos funcionários do espaço.

Auxílio Estadual

A equipe da Secretaria de Cultura e Economia Criativa ainda entregou três cartões do Auxílio Estadual para trabalhadores da cultura no município. O benefício, no valor de R$ 600, pago em três parcelas de R$ 200 mensais, já foi entregue em mais de 20 municípios no interior do Amazonas, com mais de 1 mil beneficiados.

Desenvolvimento cultural

“Esse projeto é muito importante porque apresentamos ferramentas para que artistas e trabalhadores da cultura tenham alternativas para ajudar no desenvolvimento cultural do município, para que possam participar de editais, por exemplo”, comentou o secretário de Cultura e Economia Criativa, Marcos Apolo Muniz.

“Além disso, o poder social da cultura é muito grande, e com a ‘Expedição Cultural’ possibilitamos que crianças e jovens tenham um contato maior com o fazer artístico, que tenham interesse em desenvolver essas habilidades, que possam vislumbrar uma carreira artística”, pontuou o secretário.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.