Filme do Sacaca, realizado pela Ufopa, recebe menção honrosa da Anpocs

Compartilhe:

Com o título “Nós por Nós: Narrativas da Covid-19 nos Quilombos do Pará”, um filme produzido pelo Núcleo de Estudos Interdisciplinares em Sociedades Amazônicas, Cultura e Ambiente (Sacaca) da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) recebeu da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (Anpocs) uma menção honrosa no Prêmio Ana Galano, na categoria curtas-metragens.

O filme foi um produto acadêmico desenvolvido a partir do um projeto de extensão “Sacaca e Malungu contra o coronavírus nas comunidades quilombolas do Pará”.

Assista ao filme Nós por Nós: Narrativas da Covid-19 nos Quilombos do Pará:

Esse projeto produziu vários materiais informativos sobre a pandemia para orientar as comunidades quilombolas do estado, junto com a coordenação das Associações das Comunidades Remanescentes de Quilombo do Pará (Malungu). Essa entidade representa mais de 500 quilombos paraenses.

Além de estar vinculado ao projeto de extensão, o filme foi o produto final do trabalho de conclusão de curso de Gabriel Baena no curso de Antropologia, com a orientação da professora Luciana Gonçalves de Carvalho. De modo geral, o filme trata dos impactos da Covid-19 nos quilombos paraenses e das ações de enfrentamento à pandemia organizadas pela Malungu.

Uma comunidade quilombola chamada África, no município de Moju, foi escolhida como locação específica para um olhar mais detalhado no nível comunitário, sobre como as pessoas vivenciam a pandemia.

“Dessa maneira, o filme conecta uma visão geral do Estado, com foco na organização quilombola para enfrentar a pandemia, com uma visão local de como as pessoas na comunidade África vivenciam o problema”, disse professora Luciana.

As gravações ocorreram em 2020, com locações em Moju e também em Belém, com utilização de recursos tecnológicos para entrevistas a distância.

 

A orientadora do trabalho explicou que o título reflete duas coisas importantes: 1) que as comunidades quilombolas são desamparadas pelo Estado, então contam mesmo é com o próprio esforço de mobilização e autocuidado comunitário; 2) a ação Sacaca e Malungu se desenvolveu na forma de uma grande rede de colaboração, conectada por meio de redes sociais. Segundo ela, essa rede tem vários nós onde as conexões, os elos e a parceria universidade-comunidade se estreitam.

Sobre a premiação

Os autores Sérgio Gabriel Baena Chêne e Luciana Gonçalves de Carvalho participaram da sessão de premiação nesta quarta-feira, 27 de outubro, no 45º Encontro da Anpocs, realizada em modo virtual.

Fundada em 1977, a Anpocs reúne mais de cem centros de pós-graduação e de pesquisa em Antropologia, Ciência Política, Relações Internacionais e Sociologia de todo o Brasil.

Por intermédio de sua Comissão de Imagem e Som, a Anpocs conferiu em 2021 o primeiro “Prêmio Ana Maria Galano”, que homenageia uma das precursoras dos estudos de imagem e som em Ciências Sociais. Confira aqui o evento da premiação.


Fonte: Ufopa

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.