Mostra Casa do Museu Wagner Melo permanecerá até sábado, no Palacete

Compartilhe:

A Mostra Casa Museu Wagner Melo, do o diretor, cenógrafo, produtor e dramaturgo Wagner Melo, permanecerá no Museu de Imagem e Som do Amazonas (Misam), no Palacete Provincial, no Centro, até sábado (06/11).

O acesso à programação (abaixo) ao público é grátis

São mais de 1.900 objetos, exibição de vídeos e leituras dramatizadas, que contemplam 71 anos da vida do artista amazonense.

Segundo Wagner Melo, a proposta é um misto de acervo e processos criativos, o material em exposição traz ainda 857 CDs, 792 DVDs, 277 livros e impressos sobre arte, cultura e cinema.

Programação 

Sessões de vídeo e leituras dramatizadas escolhidas pelo próprio artista também compõem o roteiro da mostra. Na quinta-feira (04/11), a partir das 9h30, vão ser exibidos o filme “Villa-Lobos: uma vida de paixão”, de Zelito Viana; e o documentário “O Cineasta da Selva”, de Aurélio Michiles.

Na sexta-feira (05/11), também às 9h30, “Dzi Croquettes”, filme de Tatiana Issa e Raphael Alvarez. Às 15h, vai acontecer a leitura dramatizada do texto “Dziprocesso”, de Jorge Bandeira com Wagner Melo e convidados.

No sábado (06/11), a programação encerra com o filme “A Selva”, filme de Leonel Silva, às 9h30.

Palacete Provincial – O espaço cultural, administrado pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, funciona das 9h às 17h, com acesso gratuito e agendamento pelo Portal da Cultura (cultura.am.gov.br).

O uso de máscara e a apresentação da carteira de vacinação na entrada são obrigatórios.

 Colecionador

“Eu sempre fui um colecionador e, durante a minha vida profissional, acumulei documentos, filmes sobre Teatro e toda a história do cinema, que serviram para pesquisa em muitos trabalhos. Agora, eu quero que esse acervo seja visto, que as pessoas tenham acesso. Isso tudo é um sonho meu, é o primeiro passo para o Museu de Memórias das Artes do Amazonas”, disse Melo, no lançamento do evento, na manhã dessa quarta-feira (03/11).

O secretário executivo de Cultura e Economia Criativa, Luiz Carlos Bonates, reforçou a importância do projeto para a sociedade.

“Nós vivemos um tempo de liquidez, que a memória se apaga rapidamente. Aqui é um ato de resistência e isso é muito importante, porque é o papel dele como artista, professor e descobridor de talentos”, afirmou Bonates.

O ator e diretor Arnaldo Barreto prestigiou a abertura da mostra e destacou que a iniciativa é fundamental para a nova geração do Teatro. Entre os elementos em exposição está o figurino completo da personagem Madama, que Wagner Melo usou no filme “Noiva do Itamaracá”, dirigido por Arnaldo, ainda sem data de estreia.

“O Wagner Melo é um grande artista, uma pessoa que tem um acervo incrível, fundamental para o teatro amazonense. Ele fez história, tem muitas dramaturgias importantes, é uma referência para todos nós”, comentou o ator. “Esse acervo tem muito conhecimento a agregar à sociedade”, concluiu Barreto.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.