Centro de educação Indígena faz campeonato de língua Kokama

Compartilhe:

Alunos e professores de três Centros Municipais de Educação Indígenas (Cmei), da Secretaria Municipal de Educação (Semed), participam do 1º Campeonato de Língua Kokama de Manaus, realizado pela Organização das Mulheres Indígenas Kokama Lua Verde.

O evento iniciou na tarde desta quarta-feira, 10/11, e segue até sexta-feira, 12, de modo virtual, pela página do Facebook da Década das Línguas Indígenas.

A ação é uma homenagem aos mais de 70 anciãos que perderam a vida por conta da pandemia da Covid-19 e, também, serve para fortalecer o projeto de vitalização da língua kokama, além de promover a troca de saberes e a coletividade entre os vários centros de língua da comunidade Kokama como um todo.

De acordo com a cacique e presidente da organização, Altacir Corrêa Rubim, o campeonato é também uma forma de apresentar as ações que os Centros Indígenas de língua Kokama desenvolvem na comunidade.

“Com esse campeonato vamos poder verificar realmente como os centros trabalham a língua kokama, o envolvimento dos professores e das lideranças das comunidades, onde a participação de cada um é muito importante. Esse evento é para dar visibilidade ao trabalho dos professores e fortalecer a identidade e a língua kokama em Manaus”, explicou Altacir.

O evento em Manaus teve o apoio da Gerência de Educação Escolar Indígena (Geei) da Semed, que divulgou e orientou os professores Kokama envolvidos no campeonato.

“A gerência orientou todos os professores kokamas envolvidos no campeonato, assim como os alunos, pais e comunidade, tudo para que a língua e cultura sejam fortalecidas. Foram meses de envolvimento de todos para construir os vídeos para esse momento”, comentou a gerente da Geei, Giovana de Oliveira Ribeiro.

Divisão

A competição é dividida em cinco categorias: Upari-sardinha, para crianças de 3 a 7 anos; Tapaka-pacu, para as de 8 a 12 anos; Pirawira-boto, voltada aos jovens de 13 a 18 anos; Pirarara, dos participantes de 19 a 45 anos; e Iwatsu-pirarucu, para as pessoas acima de 46 anos.

A participação se dá de forma individual, dupla ou grupo com apresentação musical, teatral, adivinhações, poesias, histórias, grafismos, vestimentas tradicionais, caracterização do ambiente; tradutores, além da participação de pais e professores.

Para o professor Gean Mestrinho, do Cmei Atawanã Kuarachi Kokama, na estrada do Brasileirinho, quilômetro 8, no Puraquequara 2, o estudo da língua Kokama inicia com as crianças.

“As crianças iniciam na língua Kokama com o alfabeto, consoantes, formação de palavras e frases, e leituras de textos. Com o campeonato temos uma visão de como está o desenvolvimento dos alunos na língua Kokama”, comentou o professor.

 Premiação

Todos os competidores serão premiados com certificados, um kit de brinquedos com carrinho, bolas, bambolê, corda de pular e um kit escolar com caderno, lápis, borracha, apontador, lápis de cor, pincel, régua, giz de cera, além de bombons. Já os centros receberão um troféu.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.