Seduc quer mais interatividade nas escolas ribeirinhas e rurais

Compartilhe:

A Secretaria de Estado de Educação e Desporto lançou, neste mês, novos formatos de aulas do Ensino Presencial com Mediação Tecnológica.

As mudanças foram pensadas para dar nova dinâmica à modalidade de ensino, além de inovar e tornar as aulas mais atraentes para os mais de 26,8 mil estudantes, que estão sendo atendidos neste ano letivo.

Em 2022, o Centro de Mídias do Amazonas (Cemeam) celebra 15 anos de inovação no ensino à distância com reconhecimento internacional.

As mudanças, compõem as políticas de fortalecimento para a área, determinadas pelo governador Wilson Lima desde o início da sua gestão.

Uma das principais mudanças é a participação dos estudantes por meio de vídeo e áudio em tempo real. Antes, a interação era realizada somente pelo chat.

Nos 61 municípios, foram instalados câmeras e microfones para permitir que as dúvidas sejam tiradas diretamente com os professores que estão no estúdio, em Manaus.

Mais atraente 

Para a secretária de Estado de Educação e Desporto, Kuka Chaves, a reformulação, torna a modalidade mais atraente.

“O Centro de Mídias foi pensado para dar oportunidade aos jovens de todo o Amazonas, pensando naqueles que moram em regiões distantes. Nos últimos dois anos, o governador Wilson Lima fortaleceu o Cemeam e, as mudanças, mostram que vamos continuar investindo para ir ainda mais longe”, destacou.

Atualmente, o Ensino Presencial Mediado por Tecnologia atende 2.045 turmas em mais de 1.023 comunidades ribeirinhas, rurais e áreas remotas, com mais de 26,8 mil estudantes.

Com a interatividade entre estudantes e professores, o objetivo é fazer com que os alunos possam contribuir com a construção dos conteúdos a serem tratados diariamente ou três vezes na semana, culminando em uma entrega de produção ao final de cada unidade de estudo por componente curricular.

De acordo com a gerente de Ensino Mediado por Tecnologia, Kaellen Ferreira, as mudanças acontecem para que o protagonismo do estudante esteja em maior evidência.

“Nós estamos passando por um período de muitas mudanças metodológicas, pedagógicas e curriculares, e claro que o Centro de Mídias trouxe isso para os cenários e para sua identidade visual, visando trazer inovações, para que os nossos estudantes estejam sempre participando, visto que o maior foco de todo esse movimento é a aprendizagem dos nossos alunos”, frisou.

 Interatividade

Para garantir a interatividade, foram instalados câmeras e microfones, onde os jovens poderão sanar dúvidas sobre as aulas on-line.

“Essa repaginada, esse atrativo chega para que nós consigamos vencer o desinteresse que às vezes o aluno tem. O momento de interatividade tem tido bons resultados, temos conseguido despertar a atenção desses estudantes, fazendo com que eles possam ter uma aula divertida e descontraída”, pontuou o professor de Educação Física, Paulo Ricardo.

 Novos cenários

Em Manaus, os estúdios receberam revitalizações, como a reformulação de novos cenários, que focam em cores mais vivas, com telas interativas, estúdios com novas plotagens com inspirações nas temáticas: educação, tecnologia, regionalismo e elementos educacionais.

Além da reestruturação de cenários, a direção buscou, ainda, estimular gerentes, pedagogos e professores ministrantes com uniformes mais despojados e coloridos, para tornar mais atraente o conteúdo ministrado.

 Programação

Agora, as aulas seguem uma programação com quadros de atividades novos, como o Eu fiz Arte; Ambientalmente Falando; Chibé de Filosofia; Eu me remexo muito; Una charla muy chévery; Jornal Geográfico; O puxirum da História e o Sarau Literário.

A professora Jucimara Brito, que atua no Ensino Mediado por Tecnologia, explica que uma das ações que mais têm empolgado os alunos, são os quadros de atividades.

“Esse é um novo formato do Centro de Mídias, que vem trazendo novas cores e alegrias para nosso momento de aula. Os alunos têm se mostrado empolgados, pois o quadro de atividades contém exercícios diferentes do que eles tinham em outros anos, o que causa até mesmo uma maior concentração durante as aulas”, disse.

Os novos quadros têm duração de 30 minutos, no qual há mais entrosamento entre professores ministrantes e alunos em comunidades remotas.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.