Professor da Ufac lança livro on-line nesta segunda-feira

Compartilhe:

O professor do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) da Ufac Manoel Coracy Saboia Dias promove, na modalidade on-line, lançamento do livro John Locke, leitor do “judicioso” Hooker, publicado pela Editora Blücher (2021).

O lançamento ocorre nesta segunda-feira ( 28/3), às 16h (horário do Acre) e 18h (horário de Brasília), por meio do Youtube.

Participam do evento o Prof. Dr. João Silva Lima (Ufac), Prof. Dr. Cleidison de Jesus Rocha (Ufac), Prof. M.Sc. Guilherme da Silva Cunha (UFAC) e a Profª M. Sc. Maria Ivanilda Souza da Silva (IFAC), e, como mediador, Prof. Dr. Enock da Silva Pessôa (Ufac).

O evento ficará salvo no canal da editora Blucher no Youtube e poderá ser assistido posteriormente por quem desejar.

A obra pretende mostrar como a leitura lockiana do “Of the Lawes of Ecclesiasticall Politie”, notadamente do “Livro I — Concerning Lawes, and their severall kindes in general”, de Richard Hooker (1553 ou 1554-1600) corrobora a hipótese, segundo a qual o ideário liberal também é preconizado nesse tratado teológico-político do século XVI.

A obra está organizada em três capítulos, a saber:

  • No primeiro capítulo, “A influência do ‘judicioso’ Hooker nos primeiros escritos de John Locke”, demonstra-se que as primeiras reflexões tratam do problema da lei e, particularmente, da lei natural, que é esclarecida nos “Essays on the Law of Nature”;
  • No segundo capítulo, “John Locke, leitor do ‘judicioso’ Hooker no ‘Segundo Tratado sobre o Governo’”, reflete-se acerca de como Locke, ao recusar a teoria do direito divino, nos “Two Treatises of Government”, especialmente no “Second Treatise”, rediscute a ideia de lei e altera os fundamentos da obrigação política e faz de Richard Hooker um precursor do contratualismo e também do sistema político dos Whigs;
  • No terceiro capítulo, “O legado do ‘judicioso’ Hooker nos últimos escritos de John Locke”, revela-se que Locke continua um estudioso de planos delineados e meditados, em longos intervalos, mas, também, revela-se que o “judicioso” Hooker não se constitui na única fonte ou mesmo a principal fonte das ideias de Locke, antes indica brechas que não esgotam os seus efeitos.

Em seu conjunto, a obra procura mostrar que, não obstante o contraste do Locke dos opúsculos políticos e dos outros escritos do mesmo período, com o Locke dos tratados políticos e dos últimos escritos, o ideário liberal do “judicioso” Hooker, temperado pelo seu ardor anglicano, não foi ensinado em vão: John Locke compreendeu as sutilezas desse pensamento.


Fonte: Ufac

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.