OMS alerta: mulheres e recém-nascidos precisam de tratamento de qualidade

Compartilhe:

A Organização Mundial da Saúde avisa que as primeiras seis semanas após o nascimento de uma criança são vitais para mães e bebês. Nessa quarta-feira (30/3), a agência da ONU lançou o primeiro guia de apoio a mulheres e recém-nascidos no período pós-natal.

Os primeiros 45 dias após o parto são cruciais para assegurar a sobrevivência materno-infantil. É também nesse momento que o bebê precisa de apoio para o seu desenvolvimento e a mãe para sua saúde mental.

Mortes 

Nesse primeiro instante, a mãe se recupera fisicamente, o que é um passo importante para o bem-estar dela e do bebê.

OMS lembra que o nascimento de uma criança é um momento que muda a vida. Foto: Unicef/UN0156352/Dubourthoumieu

Em todo o mundo, 3 em cada 10 gestantes e bebês ficam sem o cuidado pós-natal nos primeiros dias após o parto. São nesses dias que a maioria das mortes maternas e de recém-nascidos ocorre.

As consequências físicas e emocionais podem ser arrasadoras, quando não gerenciadas, mas a boa notícia é que tudo isso é tratável com os cuidados acertados para o tempo adequado.

Aleitamento 

A OMS lembra que o nascimento de uma criança é um momento que muda a vida e que o cuidado de qualidade deve ser aplicado para fortalecer os dois. Existem a alegria, o amor, a esperança, mas é também um momento de estresse e de ansiedade para muitos.

Os primeiros 45 dias após o parto são cruciais para assegurar a sobrevivência materno-infantil. Foto: Unicef/UNI148848/Vishwanathan Edit

As seis primeiras semanas da vida de um recém-nascido são fundamentais para formar relacionamentos e estabelecer comportamentos que afetam a vida da criança, a longo prazo, assim como seu desenvolvimento e saúde.

As diretrizes da OMS incluem recomendações para o aleitamento materno e apoio aos pais no cuidado com os bebês.

Ao todo são 63 recomendações. Confira abaixo algumas que servem também para as famílias do recém-nascido:

Algumas dicas: 

Alta qualidade de instalações médicas para todos bebês e mães por pelo menos 24 horas após o parto. São necessários pelo menos três exames de pós-natal nas seis primeiras semanas. Esses contatos adicionais devem conter visitas dos médicos aos lares, se viável, para que os agentes de saúde possam ajudar com a transição do hospital para a casa. A primeira consulta deve ser até 24 horas após o nascimento.
Passos para identificar e responder os sinais de perigos que precisam de atenção médica urgente para a criança e para a mãe.
Tratamento, apoio e aconselhamento para ajudar com a recuperação e gerenciar problemas comuns que as mulheres enfrentam após o parto, como dores no períneo e inchaço da mama.
Exame de todos os recém-nascidos para checar qualquer anomalia nos olhos ou na audição, assim como as vacinas que devem tomar no nascimento.
Apoio às famílias para interagir e responder aos sinais dos bebês mantendo um contato olho no olho, calor e conforto.
Aconselhamento sobre aleitamento materno, acesso à contracepção pós-natal, promoção da saúde incluindo atividades físicas.
Encorajar a participação dos parceiros nas consultas assim como apoio às mulheres no cuidado com o bebê.
Exames para checar depressão pós-natal, ansiedade e encaminhamento aos serviços de saúde necessários para a saúde mental.

Os links para o guia estão em inglês: 

The guidelines

WHO recommendations on antenatal care for a positive pregnancy experience

WHO recommendations: intrapartum care for a positive childbirth experience


Fonte: ONU News

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.