Dia Mundial de Língua Portuguesa destaca crescimento do idioma

Compartilhe:

As Nações Unidas estimam que até o fim deste século haverá 500 milhões de falantes da língua portuguesa.

O número pode mudar, uma vez que 280 milhões já se comunicam através do idioma em quatro continentes.

Influência 

Na celebração deste 5 de maio, Dia Mundial de Língua Portuguesa, a ONU News conversou com falantes e responsáveis pela promoção do idioma em vários países, onde o português é falado. Qual é a relevância e influência dessa língua?

Em 2022, o lema da comemoração é Cultura, Língua, Economia, Ciência e Inovação para o Desenvolvimento Sustentável.

A mensagem do secretário-geral da ONU para a data enfatiza a força e o crescimento da comunidade de falantes do português.

Desafios  

António Guterres reafirma ainda que diante de desafios globais, deve haver solidariedade e cooperação entre países e povos.

“É uma língua muito importante em termos culturais e desenvolvimento”.

O líder das Nações Unidas elogia a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, CPLP, pelas pontes criadas nesse sentido.


Ele destaca o bicentenário da independência do Brasil, um dos países fundadores da ONU.

Este ano, Nova Iorque acolhe um evento virtual com o apoio da ONU News onde discursa a subsecretária-geral das Nações Unidas para Comunicação Global.

Nova Iorque  

Na organização, o Dia da Língua será liderado por Angola, que ocupa a presidência rotativa da CPLP. A embaixadora do país, Maria de Jesus Ferreira, disse que o português tem sempre um espaço destacado na entidade.

“É o veículo principal que se usa para comunicar e desenvolver as relações entre as instituições, os governos e as comunidades. Independentemente de acordos e aquilo que tenha sido decidido pelos governos, os povos desta comunidade sempre se comunicam e continuam a comunicar-se usando este veículo: a língua portuguesa.”

Um dos momentos mais importantes dos festejos será em Paris, com a série de homenagens ao centenário de escritores lusófonos.

São nomes como o angolano Agostinho Neto, o novelista brasileiro Lima Barreto, o moçambicano onde discursa a subsecretária-geral das Nações Unidas para Comunicação Global.  e o português José Saramago.

Hemisfério Sul  

A gala da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, faz interagir gerações de falantes de português em seus países e diásporas.

Na celebração de 2022, artistas brasileiros acompanham as performances que vão acontecer na terceira comemoração na agência da ONU na capital francesa.

De Moçambique, a artista Assa Matusse abre o evento com música, um veículo com o qual aprendeu a falar o idioma.

“O primeiro português que eu falei foi através de uma música. Não porque eu não percebia… o poder de cantar em português quando mais nova, com cinco anos e tudo mais, é uma forma de mostrar o poder das artes na transformação e na educação dos mais jovens e não só.”

É o veículo principal que se usa para comunicar e desenvolver as relações entre as instituições, os governos e as comunidades

Ao proclamar o Dia Mundial da Língua Portuguesa, em 2019, a Unesco reconheceu o papel e a contribuição do idioma para a preservação e disseminação da civilização e da cultura humanas.

O Instituto Camões promove há décadas o português pelo mundo. Foto: Camões LPCooperação 

A língua é a mais falada do Hemisfério Sul, oficial em três organizações regionais incluindo a União Africana, e na Conferência Geral da Unesco.

O secretário executivo da CPLP, Zacarias da Costa, disse que a data ressalta a reafirmação e valorização internacional do português.

“A língua portuguesa é a matriz identitária. O elemento de união entre os nove Estados-membros. Um meio através do qual os nossos países constroem em conjunto um espaço político, social, cultural e econômico em nome do bem-estar comum. É através do nosso idioma que os Estados-membros promovem entre si a amizade, a concertação político-diplomática e a cooperação em todos os domínios”.

Já João Ribeiro de Almeida, o presidente do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, festeja o retorno da celebração após dois anos de pandemia.

O português é uno. É um. Mas são muitos também

“Com um cheiro já a normalidade, podemos ter público, vai decorrer no Museu do Teatro e da Dança. Neste dia vai haver também uma seção solene com a presença de altos responsáveis de Portugal e ao fim ao cabo de reafirmação da língua portuguesa enquanto grande língua global, enquanto ativo global que temos e que muitas vezes os próprios falantes da língua portuguesa não têm noção do quanto a língua portuguesa é importante como ativo global e como força que tem no mundo, tendo em conta que se fala em cinco continentes.”

Museu 

Para o Camões e Portugal, a língua materna é também um ativo global. O secretário de Estado para os Negócios Estrangeiros e Cooperação do país, Francisco André, vê uma ocasião para se refletir na partilha dos laços, da história, da cultura e impulsionar o desenvolvimento na CPLP.

“É uma língua de criação de cultura. Nós não nos podemos esquecer que o português em que José Saramago escreveu, Chico Buarque canta, em que Cesária Évora cantou, em que continua a escrever Mia Couto e, ainda hoje, ouvimos entrar por nossas casas e para os nossos rádios, porque é a língua também que Matias Damásio canta, por exemplo. É uma língua muito importante em termos culturais e desenvolvimento. Não podemos esquecer que o português é a quinta língua mais falada do mundo.”  CL

Os festejos coincidem com o primeiro ano da retoma das atividades do Museu de Língua Portuguesa, após o incêndio de 2015.

Em São Paulo, o local volta a levar os interessados a experiências da língua após seis anos de

Países lusófonos

A curadora Isa Grinspum evidencia a preservação da diversidade para gerações futuras.

“Para pensar sobre a língua portuguesa. Sobre a riqueza da língua portuguesa. Sobre a sua história. Sobre essa diversidade enorme. Porque o português é uno. É um. Mas são muitos também”.

Em todo o mundo, eventos marcam o 5 de maio em Estados-membros, observadores e organizações da sociedade civil associados à CPLP. CPLP

Na ONU, a CPLP p lidera um evento com os embaixadores dos países lusófonos que será mediado pela editora-chefe da ONU News, Monica Grayley, nesta quinta-feira.

Eleutério Guevane e Monica Grayley também participarão deu uma live com o Sesc em São Paulo sobre o papel da língua portuguesa como canal de notícia nas Nações Unidas. A transmissão ocorre nesta quinta-feira.

 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.