Ufam e Embrapa realizam o projeto Seleção de clones de Coffea canephora

Compartilhe:

A Universidade Federal do Amazonas (Ufam), em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), realiza o projeto Seleção de clones de Coffea canephora.

Apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado do Amazonas (Fapeam), o projeto tem como objetivos estimular o desenvolvimento de pesquisas e incentivar a cafeicultura no Amazonas.

Pesquisas

A coordenadora do Seleção de clones de Coffea canephora, professora Maria Teresa Lopes, da Faculdade de Ciências Agrárias da Ufam, destaca que o projeto favorece o desenvolvimento de pesquisas de doutorado e o treinamento de estudantes em iniciação científica.

“No dia 9 de maio foi defendida a primeira tese de doutorado do projeto, dentro do Programa de Pós-Graduação da Agronomia Tropical da Ufam. Os resultados mostram a adaptabilidade dos clones avaliados e que eles são promissores para a cafeicultura do estado. Outras duas defesas de doutorado previstas irão trazer resultados mais aprofundados da qualidade do café e da produtividade do cultivo. Para o Amazonas, o resultado não foi somente científico. O projeto foi relevante para o fortalecimento de parcerias das instituições envolvidas, para a difusão de uma cultura com possibilidade para o agricultor, treinamento de recursos humanos e, certamente, terá impacto na evolução da cafeicultura no Amazonas”, destacou a pesquisadora.

Novo projeto

A professora acrescenta que um novo projeto, o Café no Amazonas, expandindo fronteiras: adaptação, produção e qualidade, foi aprovado na Fapeam, para dar continuidade às pesquisas nos experimentos já instalados.

“Café é cultura perene e continuam as colheitas. O projeto Café no Amazonas, expandindo fronteiras: adaptação, produção e qualidade está sob a coordenação do professor da Ufam, Fábio Medeiros, com atuação nos municípios de Humaitá, Itacoatiara, Manaus, Silves e Urucará”, completou a professora Tereza Lopes.

O professor Fábio Medeiros, do Instituto de Ciências Exatas e de Tecnologia de Itacoatiara (Icet/Ufam) explica que as pesquisas são realizadas em áreas experimentais da Universidade (Manaus e Humaitá) e em propriedades rurais (Itacoatiara, Silves e Urucará), sendo um aspecto importante o envolvimento com os produtores.

“Esse projeto está envolvendo alunos de iniciação científica e um aluno de doutorado, o Andrey Luis Bryuns de Sousa, que avaliará a adaptabilidade e a estabilidade da produção, além da qualidade da bebida”, detalhou o professor.


Fonte: Ascom/Ufam

Texto: Márcia Grana

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.