Confesso que escrevi cartas

Duvido que seja a mesma coisa! Há quem se encante com a rapidez da internet. Escreve-se uma mensagem via imeio, clica-se sobre o item enviar e, instantaneamente, o destinatário tem acesso a ela, esteja onde estiver. Mas, repito, não é a…

Semântica & marcenaria

Era sempre assim. Manhãs e tardes de sábado eram dedicadas ao trabalho com madeira. Na pequena oficina improvisada na garagem da casa, em Manaus, esquecia-me do tempo e da vida absorto no paciente trabalho de rabiscar o projeto, escolher a…

A doce ilusão da escrita criativa

Pouca coisa me incomoda mais do que a venda de facilidades, quando se trata da escrita de textos. Digo isso a propósito da enxurrada de ofertas de cursos de escrita criativa que tem aparecido em meu espaço nas redes sociais. A…

A mulher que beijou Saramago

A madrugada já ensaiava encontrar-se com a luz do dia quando chegou à casa da amiga, com quem dividia confidências e hospedagem no piso superior de um simpático sobrado. A princípio, tomou redobrado cuidado para não a incomodar. Livrou-se…

Dona Manuela

Não era um dos melhores dias para o Zeca Normando. Suas mãos já tinham passado daquele estágio inicial, quando o primeiro bolo de palmatória provoca um ardume passageiro e deixa como lastro na palma da mão apenas manchas vermelhas que em…

Os filhos da gente

Noite dessas, naqueles minutos ou segundos de recolhimento, quando a casa já adormeceu e a gente se divide entre as lembranças do dia e a chegada do sono, invadiu-me uma sensação de dívida para com meus filhos. Acionei a memória na…

A servidão voluntária do escritor

Dessas coisas que violam as regras naturais dos acontecimentos. Escrevi a epígrafe antes de pensar no livro. E o pequeno texto nasceu num desses momentos em que, nas primeiras horas da manhã, a gente se flagra absorto nas vicissitudes da…

O herói de barro

Já faz algum tempo, mas não tempo distante. Considerava-o seu melhor amigo. Gente boa mesmo! Dono da virtude da paciência e da tolerância. Sempre disposto a ouvir os alunos, ainda que lhe consumissem os preciosos quinze minutos de…

O internato: a dor da separação

Aquele foi o dia mais angustiante da minha infância. Tinha eu meus sete anos. Não me lembro de outro dia que tenha deixado meu coração de menino tão apertado, ao ponto de ter resistido por anos a cicatrizar na inocência de minha memória.…